Chuva, alagamento, briga e gols: Fla vence o Vasco por 2 a 1 em clássico agitado

Alecsandro marca duas vezes, enquanto Gilberto faz o do Cruz-Maltino. Maracanã fica alagado pela chuva, e duelo é interrompido por 50 minutos. Ao fim, jogadores brigam

Se houve um personagem no clássico entre Flamengo e Vasco, foi a chuva - que paralisou o duelo em 50 minutos. Se houve outro personagem - aí, dentro de campo -, foi Alecsandro. Foi o atacante quem garantiu a vitória rubro-negra. Primeiro, aproveitando o erro de Martín Silva e a ajuda de uma poça d'água acumulada no gramado.

Depois, em pênalti cometido por Guiñazu em Marcelo Cirino. Os 2 a 1 no Maracanã - Gilberto fez para o cruz-maltino - aumentam a estatística a favor do Fla. Desde 2012, na semifinal da Taça Rio, o Vasco não vence - são 6 derrotas e 4 empates. Com o resultado, o Flamengo permanece na terceira colocação do Carioca, com 26 pontos.

O Vasco, por sua vez, cai três posições e fica em quarto, com a mesma pontuação, mas perdendo nos critérios de desempate. Na próxima rodada, o rubro-negro recebe o Bangu no Maracanã, às 22h de quarta-feira. Já o Vasco encara o Boavista em Bacaxá, na quinta, às 16h. Não faltou emoção e movimentação no clássico - dentro e fora de campo.

A chuva determinou a abertura do placar, com Alecsandro e erro de Martín Silva. Durante cerca de 10 minutos, o futebol ficou impraticável no primeiro tempo devido ao alagamento do gramado. Na volta da parada, foi o Vasco quem voltou melhor e aproveitou para empatar, com Gilberto, logo com três minutos após o retorno. Guiñazu vinha vem nos desarmes até cometer pênalti em Cirino, no segundo tempo. Acabou sendo expulso, mais tarde, em confusão generalizada. Houve ainda chances desperdiçadas e boa atuação dos goleiros.

A forte chuva que caiu no começo da noite no Rio de Janeiro foi o personagem principal do clássico. Com ela, o gramado do Maracanã ficou completamente alagado, proporcionando o gol de Alecsandro e ocasionando a interrupção da partida poucos minutos depois. Ao total, foram 50 minutos em que o duelo ficou parado - sendo 30 para espera e 20 para retorno a campo e aquecimento. As equipes permaneceram ao vestiário e voltaram apenas para o aquecimento para o reinício. A drenagem do estádio funcionou muito bem e, apesar da chuva continuar - mesmo que mais fraca -, o gramado não teve mais problemas e não apresentou mais nenhuma poça no restante do confronto.

O atacante rubro-negro soube agarrar a oportunidade que lhe deram. Com muita inteligência, se aproveitou do erro de Martín Silva, que foi tentar repor a bola em jogo entregando-a a Rodrigo. Porém, a pelota acabou parando em uma poça antes de chegar aos pés do zagueiro. Aí, Alecsandro aproveitou o gol vazio - e a ajuda da água - e mandou para dentro das redes. No segundo tempo, ainda garantiu a vitória rubro-negra de pênalti.

Aos 36 minutos do segundo tempo, houve briga e confusão generalizada no Maracanã. Paulinho comete falta em Bernardo, que parte para cima do adversário. Anderson Pico chega e empurra o vascaíno, que acaba até caindo no chão. Aí começa a briga. Guiñazu era um dos mais exaltados e foi preciso muita força dos colegas para contê-lo. No fim, acabou sendo expulso, assim como Bernardo, Paulinho e Pico.

Durante a parada do jogo devido à chuva, dirigentes dos dois clubes trocaram declarações. Enquanto o presidente do Flamengo afirmou que "não conversa com a Federação", o diretor de futebol do Vasco disse apenas que "respeita a decisão da arbitragem".   Eduardo Bandeira de Mello: "Não tem conversa com a Federação. Aliás, o Flamengo não conversa com a Federação. A questão é que estamos disputando um jogo e não vejo motivo para que a partida seja interrompida".   Paulo Angioni: "O que o Vasco está assustado é que ouviu dizer que as pessoas do Flamengo disseram que não tem nada no campo. Provavelmente não devem estar aqui, né. A posição do Vasco é respeitar o que a arbitragem determinar".






Fonte: Globoesporte.com