Corinthians diz que rivais quebraram 46% das cadeiras; Palmeiras vai pagar pelo prejuízo

O vandalismo foi tão notório que chegou na súmula do jogo.

A torcida do Palmeiras marcou presença na semifinal do último domingo com 1.886 pessoas na área dos visitantes da Arena Corinthians. Segundo o Corinthians, o grupo fez um estrago. Um levantamento feito pela diretoria alvinegra, e acompanhado por representantes do clube rival, contabilizou 877 cadeiras quebradas no setor, ou 46% de todos os assentos usados pelos fãs alviverdes. Segundo Paulo Nobre, o Palmeiras vai pagar pelo prejuízo causado.

"É um número bem representativo. Veio um representante do Palmeiras e acompanhou toda a contagem", explicou Lúcio Blanco, gerente de operações da Arena Corinthians. Além das cadeiras, o Corinthians ainda contabilizou outros danos. Dez papeleiras, um assento de vaso sanitário, uma porta de banheiro, três batentes de porta de banheiro, duas grades de proteção de circulação de público, dois corrimãos de escada e uma longarina arrancada com 26 cadeiras também foram depredados.

"Acho uma vergonha o comportamento da torcida visitante. Não só a do Palmeiras, mas a do São Paulo, do Santos, do Corinthians, todas se comportam da mesma maneira. É uma vergonha. Temos uma ótima relação com o Corinthians, falei com o Andrés e o Palmeiras se responsabiliza", disse Paulo Nobre, presidente alviverde, recriminando a atitude dos vândalos.

O vandalismo foi tão notório que chegou na súmula do jogo. O árbitro da partida, Thiago Duarte Peixoto, relatou que palmeirenses atiraram "um tênis e um assento no campo de jogo e vários na torcida do Sport Club Corinthians Paulista, que arremessou de volta para a torcida da Sociedade Esportiva Palmeiras". O incidente aconteceu depois do fim do jogo, que terminou com o Palmeiras classificado à final do Paulista nos pênaltis, após um 2 a 2 no tempo normal.

Casos de vandalismo como o do último domingo podem custar caro para os clubes envolvidos. No ano passado, o Palmeiras chegou a ser multado porque sua torcida depredou a Arena Corinthians no primeiro clássico do estádio. Além disso, o acordo de cavalheiros entre as diretorias fez com que o próprio Palmeiras tivesse de pagar pelas depredações, gesto que foi repetido pelo Corinthians quando o vandalismo foi alvinegro no Allianz Parque. O caso deste fim de semana, porém, foi mais grave que todos os outros. Normalmente, o vandalismo das torcidas rivais castiga o estádio em cerca de 250 cadeiras. Foi esse o prejuízo médio da Arena Corinthians em seus primeiros dias, por exemplo, incluindo jogos de Copa do Mundo e os primeiros clássicos do estádio. O prejuízo de 877 assentos é, segundo a própria direção alvinegra, o maior desde a inauguração da nova casa alvinegra em Itaquera.



Fonte: UOL