Coritiba vence, ultrapassa Palmeiras e respira na briga para fugir do Z-4

O desempenho das equipes deixou claro que será preciso muita alma, entrega, talvez sorte, para evitarem a queda. Tecnicamente não há salvação.

Tensão. Agonia. Medo. Insegurança. Love. O "amor" ajudou a decidir jogo disputado sob o mais pesado dos climas de fim de ano num Brasileirão: a sombra da zona de rebaixamento. Zé Love abriu caminho para a vitória do Coritiba por 2 a 0 sobre o Palmeiras. Uma bomba de pé direito que deixou em frangalhos os nervos do adversário e tornou fácil para os donos da casa aumentarem, em passe de Alex para Joel, ambos livres na área.

A duas rodadas do fim, os clubes estão fora do Z-4, mas por um triz: o Coxa tem 41 pontos e o Verdão, 39, apenas um a mais do que o Vitória, 17º colocado. O desempenho das equipes deixou claro que será preciso muita alma, entrega, talvez sorte, para evitarem a queda. Tecnicamente não há salvação.

Com apoio da torcida no Couto Pereira, os anfitriões foram mais perigosos. Revelado no Palmeiras, por mais uma dessas ironias do destino que têm atormentado o clube, Zé Love chegou a abrir o placar no primeiro tempo. Mas enquanto ele cabeceava para a rede, o zagueiro Leandro Almeida fazia falta em Lúcio. O gol foi bem anulado.


No lado paulista, mais uma vez ficou a impressão de que mais vale um Valdivia andando do que outro companheiro correndo. Limitado por um edema na coxa esquerda, o chileno, surpreendentemente, foi titular. Não fez nada de mais, mas, com ele à frente de Renato, Washington, Victor Luís e Wesley, o meio-campo do Coxa ao menos tinha com quem se preocupar.


É até difícil identificar como a saída de um jogador sem condições de atuar comprometeu tanto o Palmeiras. Não foi só isso. O Coritiba valorizou a posse de bola, enquanto os comandados por Dorival Júnior, que colocou Diego no lugar do meia, ficaram distantes.


Quando Juninho errou desvio de cabeça, Alex dividiu com Renato pelo alto, e a bola sobrou para a conclusão letal de Zé Love, o jogo acabou. Em nenhum segundo, o Palmeiras deu qualquer impressão de que poderia se reabilitar. Pelo contrário. Assistiu (literalmente) a Joel fazer o segundo com Fernando Prass batido, e tantas outras chances desperdiçadas.


Os aplausos repletos de gratidão da torcida a Zé Love, substituído, deixaram claro: muito suor e nem tanta qualidade assim. É o que se espera de Coritiba e Palmeiras nas últimas rodadas para disputarem a Série A em 2015. O Coxa terá pela frente o Atlético-MG em casa e o Bahia fora. O Verdão vai encarar o Internacional no Beira-Rio, e o Atlético-PR em sua nova Arena. Mais tensão, mais suspense. Faltam duas semanas.

Fonte: Globo Esporte