Criciúma usa escanteios, freia embalo do Santos e deixa a lanterna

A equipe da casa venceu por 3 a 0

A desatenção em escanteios custou caro. O Santos levou rapidamente dois gols em jogadas originadas por cobranças e não teve forças para reagir contra o Criciúma na noite deste domingo, no Heriberto Hulse, em Santa Catarina, em partida válida pela 28ª rodada do Campeonato Brasileiro. A equipe da casa venceu por 3 a 0.


Com o resultado, o Criciúma deixa a lanterna da competição e sobe duas colocações chegando ao 18º lugar, com 30 pontos. Já o Santos, que vinha como a melhor equipe do returno, estaciona na sétima colocação, com 42.

Na próxima rodada, o Criciúma encara o Fluminense, no Maracanã, em partida que ocorre no sábado às 18h30. No dia seguinte, o Santos faz o clássico contra o Palmeiras, no Pacaembu, às 16h. Antes, a equipe paulista enfrenta, na quinta-feira, o Botafogo pela Copa do Brasil.

Fases do jogo

O que fazer quando o time perde por 2 a 0 logo com pouco mais de 20 minutos de jogo? O sistema defensivo do Santos foi extremamente desatencioso com o pior ataque do campeonato e pagou caro.

O time sofreu dois gols de escanteio marcados por Joílson e Rodrigo Souza em jogadas que diversos jogadores ficaram quase que estáticos na área. Daí em diante, o Criciúma se fechou bastante.

O Santos foi à frente até que com organização, mas a retranca do adversário foi daquelas em que até o centroavante, Souza, jogava atrás da linha da bola.

O segundo tempo foi completamente dominado pelo Santos. Geuvânio foi o jogador mais acionado e ainda teve boa chance em finalização forte para boa defesa de Bruno.

A proposta defensiva do Criciúma foi ainda mais intensificada com a entrada de Serginho no lugar de João Vitor. Com o time santista cansado, o adversário passou a crescer em campo.

O Criciúma chegou ao terceiro gol com Lucca em lance de sorte ao aproveitar uma bola na trave.

O desespero santista ainda aumentou, pois a equipe se mostrou competente para criar boas jogadas, mas sofreu com péssimas finalizações e uma boa partida do goleiro Bruno.

O melhor -  Cleber Santana - Pode parecer estranho pelo fato de não ter feito nenhum gol. Só que o experiente jogador foi extremamente participativo e com passes precisos e muitas viradas de jogo comandou o ataque do time. Cadenciou bastante o jogo quando a vantagem já era de 2 a 0.

O pior - Cicinho - Parece não render quando a defesa adversária está fechada. Prejudicou o time quando o mesmo tinha que sair com a posse de bola, e também não teve boa atuação defensiva. Ainda levou amarelo e merecia ter sido expulso no primeiro tempo.

Toque dos técnicos

Enderson Moreira não optou pelo já tradicional esquema com três atacantes, e viu o Santos sofrer sem jogadas pelo lado do campo. Já Gilmar Dal Pozzo trancou o time após chegar a dois gols de bola parada e evitou grandes sustos.

Pra lembar

Aliviou: O árbitro Péricles Bassol ficou em situação complicada no fim do primeiro tempo. Pouco após ter aplicado o cartão amarelo ao lateral Cicinho por falta comum, o jogador deu carrinho duro no adversário e deveria ter levado outro cartão. No entanto, o Pericles Bassol só conversou com o santista.

Que isso?: O atacante Leandro Damião proporcionou uma jogada bizarra na partida. Em um lance de bola parada, ele correu na área puxando a própria camisa parecendo ter a intenção de ludibriar o árbitro.

Clique aqui e curta a página do meionorte.com no Facebook

Fonte: UOL