Em jogo de pouco apelo, Flamengo vence Cabofriense por 1 a 0

O Rubro-Negro desperdiçou inúmeras chances de gol

Num jogo de pouco apelo, o time misto do Flamengo fez o suficiente para vencer a Cabofriense, por 1 a 0, na noite desta quarta-feira, no Moacyrzão, em Macaé, pelo Carioca.

O placar poderia ser muito mais largo, se o Rubro-Negro não tivesse desperdiçado inúmeras chances de gol.

O jogo teve um público reduzido para os padrões do Flamengo e começou sem o ar de uma partida oficial, com pouco barulho vindo das arquibancadas. O clima, porém, mudou rapidamente para o esperado quando a galera soltou o tradicional grito de “Mengo” e o time rubro-negro partiu para cima.

Não demorou muito, e Pará fez ótimo cruzamento da ponta direita. O jovem Felipe Vizeu subiu com autoridade e cabeceou bem para a rede: 1 a 0, o primeiro dele no profissional. Após o gol, o Flamengo continuou insistindo para balançar a rede mais vezes. O time criou, pelo menos, mais quatro chances claras, mas vacilou nos detalhes.A Cabofriense, por outro lado, se mostrou um time muito frágil e incapaz de oferecer grandes perigos aos cariocas.

Ao fim do primeiro tempo, o placar parecia mentiroso, tendo em vista o que foi apresentado por ambas as equipes.O segundo tempo foi mais fraco tecnicamente, porém o Flamengo manteve a superioridade.

A Cabofriense melhorou um pouco na marcação e ameaçava com alguns contra-ataques, contudo ainda cometia muitos erros. Com o passar do tempo, o Rubro-Negro ficou um pouco mais cauteloso. Atento, o técnico Muricy Ramalho lançou dois titulares importantes no jogo: Willian Arão e Marcelo Cirino.Porém, as alterações não surtiram o efeito esperado.

O Flamengo tentou ampliar, mas não conseguiu. Nos minutos finais, a Cabofriense se animou para buscar a reação, mas já era muito tarde. Por isso, o 1 a 0 persistiu até o fim. A impressão é de que o Rubro-Negro poderia ter feito muito mais gols e vencido com uma tranquilidade ainda maior.

Felipe Vizeu marcou o gol da partida  (Crédito: Lance)
Felipe Vizeu marcou o gol da partida (Crédito: Lance)


Fonte: Terra