Grande clube do futebol brasileiro tem crise financeira e demite funcionários

O São Paulo Futebol Clube está em uma situação crítica este ano.

O São Paulo Futebol Clube está em uma situação crítica este ano. Isso se dá por conta de que o clube tem atletas milionários, e não está conseguindo administrar o pagamento de todos, ficando com uma porcentagem negativa nos primeiros meses, e para gastar menos, o diretor está demitindo funcionários de vários setores.

Para começar a colocar a casa em ordem, o presidente Carlos Miguel Aidar, que assumiu o cargo há quatro meses, está promovendo uma grande reformulação em todos os departamentos do clube. Os funcionários de cada pasta que ganhavam os maiores salários foram demitidos. O número de seguranças que trabalhavam em todos os jogos foi reduzido. O valor que eles recebiam também caiu para menos da metade. Muitos funcionários pararam de receber hora extra.

Conselheiros que tinham suas viagens bancadas por Juvenal Juvêncio no passado podem viajar agora desde paguem por ela. No futebol, alguns atletas e o técnico Muricy Ramalho estavam com direitos de imagem atrasados, mas os débitos foram quitados na segunda-feira. Fontes ouvidas pelo GloboEsporte.com dizem que a situação financeira atual é reflexo do último ano da gestão de Juvenal Juvêncio. Mesmo com a venda de Lucas, que rendeu R$ 81 milhões aos cofres do clube no início de 2013, o ex-presidente antecipou receitas e fez empréstimos para arrumar a situação na época.

Quando o novo presidente assumiu, um dos seus primeiros atos foi pedir antecipação da cota de TV para quitar as dívidas mais urgentes. Para piorar, o clube perdeu o patrocinador master e ainda sofre com os atrasos do fornecedor de material esportivo. A Semp Toshiba tinha vínculo com o Tricolor até dezembro de 2014, mas passando por dificuldades financeiras, saiu em julho, deixando o clube sem receber R$ 2,5 milhões por mês. A Penalty tem acordo até o final de 2015, mas dificilmente continuará no ano que vem.

Fonte: Globo Esporte