Inter espanta a crise com golaço de Alex, bate o Botafogo e volta ao G-4

Na próxima rodada, o time vermelho pega o Sport, em Pernambuco, quarta-feira às 21h. Já o Botafogo terá pela frente o Bahia, em casa, no mesmo dia, às 22h.

O Internacional espantou a crise. Neste domingo, o time vermelho contou com um golaço e uma assistência de Alex para vencer Botafogo por 2 a 0 pela segunda rodada do returno do Brasileirão, no Beira-Rio. Assim, assegurou a permanência de Abel Braga e retomou posto no G-4 que havia sido perdido no dia anterior.

O Colorado rompeu série negativa de três jogos em casa. Venceu, chegou a 37 pontos e acalmou a torcida que realizou dois protestos na semana passada. Enquanto isso, o Botafogo segue beirando a zona de rebaixamento com 22 pontos.


O gol do Inter ocorreu aos 40 do primeiro tempo. Alex recebeu de D'Alessandro fora da área e bateu forte de pé esquerdo. A bola foi alta e Jefferson estava adiantado. Foi o primeiro do jogo. No segundo, o meia cobrou escanteio com perfeição para Eduardo Sasha colocar na rede.

Na próxima rodada, o time vermelho pega o Sport, em Pernambuco, quarta-feira às 21h. Já o Botafogo terá pela frente o Bahia, em casa, no mesmo dia, às 22h.

Fases do jogo:

O Inter tentou colocar-se ofensivamente. Precisando do resultado e em casa, a equipe de Abel Braga adiantou as linhas e buscou  pressionar. Mas não conseguiu. Pelo contrário, viu o Botafogo suportar qualquer investida e criar as melhores chances no princípio. Utilizando espaços deixados às costas dos laterais Diogo e Alan Ruschel, o time carioca quase marcou com Wallyson, aos 20. Aos 25, Zeballos perdeu a segunda oportunidade e aos 27, Muriel defendeu evitando mais uma vez que o Borafogo abrisse o placar.

Percebendo o momento tenso, Abel Braga trocou ainda no primeiro tempo. Eduardo Sasha entrou na vaga de Jorge Henrique, lesionado. A desordem do Inter contrastava com a boa partida feita pelo Botafogo. O time carioca dificilmente foi acuado por ações do oponente.

Mas quando era inferior no jogo, o Inter conseguiu abrir o placar. D'Alessandro rolou para Alex ainda fora da área, o meia bateu forte de perna esquerda e contou com o goleiro Jefferson adiantado para marcar 1 a 0 aos 40 minutos da etapa inicial. A vitória parcial local levou todos para o intervalo.

No segundo tempo, em vez de recuar o Inter se manteve com postura ofensiva. Aos 13 minutos, Eduardo Sasha fez o segundo. Em escanteio, o jovem marcou o gol. O time vermelho seguiu em cima. Aos 27, D'Alessandro quase fez o terceiro. Enquanto isso, o Botafogo, a partir da entrada de Tanque Ferreyra, passou a levantar bolas para área do oponente insistentemente.

Aos 29 minutos, Yuri Mamute entrou pela esquerda e cruzou. Ferreyra chegaria para marcar, mas Alan Rushel impediu. A resposta foi aos 35 mitos. D'Alessandro driblou dois marcadores e, dentro da área chutou colocado mas acertou a trave. E com o Inter sempre perto de fazer o terceiro, o jogo foi encerrado.

O melhor: Alex - Marcou um belo gol e deu assistência em boa cobrança de escanteio para o segundo. Além de ser importante para conter os avanços dos meias do Botafogo.

O pior: Diogo - O lateral direito sequer faz parte do grupo principal do Inter. Só jogou porque Wellington Silva e Claudio Winck estão lesionados e Gilberto pertence ao Botafogo e não pode jogar por questões contratuais. Foi mal, deu espaços e não acrescentou ofensivamente.

Toque dos técnicos:

Abel Braga montou o Internacional no 4-2-3-1, com Jorge Henrique e D'Alessandro abertos e Alex centralizado. Os volantes fora Aránguiz e Wellington. O principal defeito do time, que utilizava tal formação no início do ano, foi as costas do lateral direito Diogo. A formação teve linhas adiantadas e a tentativa de pressionar. Não deu certo, e ainda no primeiro tempo Eduardo Sasha entrou no lugar de Jorge Henrique.

O Botafogo utilizou 4-4-2 como formação. Zeballos foi o responsável por abastecer Wallyson e Rogério. Dankler, improvisado na direita, subiu pouco e não auxiliou ofensivamente.

Chave do jogo: Eficiência - O Botafogo chegou três vezes com boa possibilidade de abrir o placar. Perdeu todas as oportunidades. O Inter não havia criado uma chance sequer na etapa inicial. Quando o fez, marcou. E na segunda etapa logo na primeira chance, colocou na rede de novo. Venceu quem foi mais eficiente.

Para lembrar:

Torcida do Inter faz protesto. Após manifestarem descontentamento com o time na chegada da delegação a Porto Alegre e também em um treinamento, os torcedores do Internacional levaram faixas de protesto ao Beira-Rio. Uma delas dizia 'ingresso caro, futebol barato', e na outra estava escrito 'honrem esta camisa'.

Dida vira reserva, mas Muriel tem azar. Após falhar na derrota do Inter para o Vitória, o goleiro de 40 anos perdeu a titularidade no Inter. Muriel defendeu o gol colorado por opção técnica, mas se lesionou ainda no primeiro tempo e Dida entrou.

FICHA TÉCNICA
INTERNACIONAL 2 X 0 BOTAFOGO

Local: estádio Beira-Rio, em Porto Alegre (RS)
Data: 14/09/2014 (domingo)
Árbitro: Jailson Macedo de Freitas (BA)
Auxiliares: Alessandro Rocha Matos e Adson Márcio Lopes Leal (ambos baianos)
Público: 19.456 torcedores
Renda: R$ 475. 885,00
Cartões amarelos: Rogério (BOT), Bolívar (BOT), Sidney (BOT); Alan Rushel (INT), Bertotto (INT)
Gols: Alex, do Inter, aos 40 minutos do primeiro tempo; Eduardo Sasha, do Inter, aos 13 minutos do segundo tempo;

INTERNACIONAL
Muriel (Dida); Diogo, Paulão, Ernando e Alan Ruschel; Wellington, Aránguiz, Alex, D'Alessandro (Bertotto) e Jorge Henrique (Eduardo Sasha); Wellington Paulista.
Técnico: Abel Braga

BOTAFOGO
Jefferson; Dankler, Bolívar, André Bahia e Julio Cesar; Ramires, Gabriel e Rodrigo Souto (Tanque Ferreyra); Rogério Wallyson (Yuri Mamute) e Zeballos (Sidney).
Técnico: Vágner Mancini

Clique aqui e curta a página do meionorte.com no Facebook

Fonte: UOL