Messi em jogo contra Ajax e Neymar é substituido: "Não gosto de sair"

O trio formado pelo argentino, Luis Suárez e Neymar ainda não funcionou.

Nesta quarta-feira (05), o time do Barcelona venceu o Ajax em Amsterdã por 2 x 0 e se classificou para as oitavas de final da liga dos campeões. Os dois gols do jogo foram do argentino Lionel Messi que brilhou na partida. Mas o trio formado pelo argentino, Luis Suárez e Neymar ainda não funcionou. E não é só por falta de tempo de adaptação. Há também outros fatores que estão condicionando esse entrosamento em campo.

O uruguaio está sem ritmo de jogo, está pesado e fora de forma. O desenho tático do Barça mudou muito com a integração do centroavante. Neymar foi encostado ao lado esquerdo do ataque, mais distante da posição central e do gol adversário. Em Amsterdã, o brasileiro não conseguiu finalizar uma única vez. Os bons passes e contra-ataques rápidos não foram suficientes para Luis Enrique que, na hora de tirar um dos três atacantes, optou por Neymar. O camisa 11 saiu para o lugar de Pedro a 16 minutos do fim do jogo e admitiu algum desconforto pela substituição. 

- Eu não gosto de sair, porque quero estar sempre jogando. Mas respeito qualquer decisão do treinador - comentou Neymar na zona mista do Arena de Amsterdã logo após o encontro com o time holandês.

Banco pesado

Respeitou, mas não entendeu o porquê. O atacante foi para o banco com cara de poucos amigos, colocou o agasalho, o gorro e pouco falou com os companheiros. Ao lado estava Piqué, que ultimamente nem levanta do banco de reservas, também de cara feia. Mesmo sem Jérémy Mathieu, o treinador não optou pelo zagueiro. Desta vez, o catalão foi preterido pelo jovem Bartra. Este é outro problema que Luis Enrique tem para resolver, porque o descontentamento com algumas decisões do técnico estão começando a se alastrar pelo vestiário e já afetaram Neymar, que apesar do visível e confirmado desagrado com a substituição, frisou que a vitória é positiva para o grupo.

- Precisávamos desta reerguida. Fizemos uma boa partida, conduzimos bem a partida e vencemos o jogo, disse sem se alongar em comentários.

Neymar sacrificado

Quando jogava ao lado de Lionel Messi e Pedro no começo da temporada, Neymar tinha mais liberdade para aparecer pelo centro do ataque. Messi recuava várias vezes para o meio-campo e servia o brasileiro de trás, que aparecia em posição vertical da esquerda para o centro. Esta é a posição que mais favorece o ex-santista, quer no Barça, quer nas partidas com a seleção brasileira.

Pedrito surgia pelo lado direito, mas com funções mais defensivas que Neymar, permitindo ao avante brasuca e a Messi mais liberdade para atacar. Esta fórmula resultou em 19 gols do Barça em menos de dois meses. Desde a integração de Luis Suárez no time, há duas semanas, tudo mudou. É verdade que o uruguaio serviu Neymar no primeiro e único gol do Barcelona no clássico contra o Real Madrid, mas os catalães perderam o encontro e, desde essa data, o camisa 9 vem atuando mais perto do gol, como pede o número de sua camisa, fazendo precisamente a mesma função de Neymar: oferecer profundidade dos lados em direção ao centro, tentando conectar com Messi, que é o único que tem liberdade para circular por todo o campo em qualquer zona de ataque. Como consequência, Neymar fica mais encostado ao lado esquerdo, com menos liberdade de movimentos táticos, mais obrigações defensivas e menos ocasiões para chegar perto do gol.

Clique aqui e curta o Portal Meio Norte no Facebook

Fonte: Globo Esporte