Pacotão do São Paulo: Ganso decisivo, caneta em Kaká e vaias para Pato

Pacotão do São Paulo: Ganso decisivo, caneta em Kaká e vaias para Pato

Pacotão do São Paulo: Ganso decisivo, caneta em Kaká e vaias para Pato

No Gigante da Beira-Rio, em Porto Alegre, o São Paulo cresceu. Com eficiência e inteligência, o time de Muricy Ramalho superou o Inter por 1 a 0, gol marcado por Paulo Henrique Ganso, entrou no G-4 e ficou mais perto dos líderes do Brasileirão. 

Bem postado em campo, o Tricolor soube aproveitar a chance que teve e depois mostrou força defensiva para suportar a pressão colorada. 

No confronto, além do gol decisivo do camisa 10, outros lances chamaram a atenção. Kaká, por exemplo, protagonizou duas cenas curiosas. Primeiro, levou uma caneta do atacante Rafael Moura, algo pouco comum. Depois, sentiu calor e ficou sem camisa em campo para tirar uma malha térmica que usava sob o uniforme. O craque foi bem e teve participação importante. 

A noite na capital gaúcha também teve a estreia do volante Hudson como titular e vaias dos colorados para Alexandre Pato, que é cria do clube vermelho. A primeira vez de Michel Bastos com a camisa tricolor e um pênalti não marcado pelo árbitro completam o pacotão são-paulino.

GANSO NA ÁREA, GOL DO SÃO PAULO

Muricy Ramalho sempre diz que quer seu camisa 10 mais perto do gol. E o técnico poderá dizer que tem razão. Aos 35 minutos do primeiro tempo, Kaká recebeu na área e tocou para Alvaro Pereira. O uruguaio chutou cruzado, e Ganso aproveitou a sobra para fazer 1 a 0. O lance acabou sendo decisivo. O meia também foi bem na marcação e ajudou os volantes.

IHHH, KAKÁ!



 

Kaká cansou de driblar defensores ao longo da carreira. E de várias formas. Mas contra o Inter o craque experimentou o outro lado. Logo no início da partida, o camisa 8 do São Paulo virou vítima. O atacante Rafael Moura aplicou uma linda caneta no meia. Apesar de ter ficado sem graça, o jogador são-paulino não perdeu a esportiva. Pouco depois, trocou sorrisos e um abraço com o He-Man.

ESQUENTOU! 
 
Kaká também protagonizou outro lance curioso no confronto. Ainda no primeiro tempo, foi à beira do campo para cobrar um lateral, deixou a bola de lado por um instante e tirou a camisa. Como vestia uma malha térmica por baixo do uniforme, o craque sentiu calor. O lance chegou a deixar Muricy Ramalho preocupado. Questionado pelo técnico, explicou o que se passava e seguiu a partida com mangas curtas. 

A PRIMEIRA VEZ DE HUDSON 
 
Depois de participar de cinco partidas saindo do banco de reservas, o volante Hudson fez sua estreia como titular do Tricolor. Com Souza suspenso e Maicon machucado, Muricy deu chance ao jogador, que tem 26 anos. Hudson teve altos e baixos, mas no geral foi bem. Mostrou-se seguro na proteção da zaga e também se arriscou no apoio. Em alguns momentos se aproximou de meias e atacantes e foi uma alternativa ofensiva.
 
CAÇA AO PATO 

Cria do Inter e campeão do mundo pelo Colorado, Alexandre Pato voltou ao Beira-Rio como adversário nesta quarta. Apesar de ter sido bem recebido pelos funcionários do clube e pelo técnico Abel Braga, que foi quem o lançou, o camisa 11 do São Paulo foi marcado pelos torcedores vermelhos, principalmente no primeiro tempo. Pato foi vaiado a cada toque na bola. Apesar de "caçado", não se abateu e foi um dos destaques da vitória tricolor com boas jogadas e empenho. 

MICHEL BASTOS EM AÇÃO
 
Apresentado na semana passada, o jogador entrou no lugar de Paulo Henrique Ganso aos 31 minutos do segundo tempo e fez sua estreia com a camisa tricolor. No pouco tempo em campo, deu bom passe para Alexandre Pato, que quase marcou.

Ô, SEU JUIZ!

Os jogadores do Inter saíram do campo na bronca com o árbitro Grazianni Maciel Rocha, mas os são-paulinos também tiveram motivos para reclamar. Aos 33 minutos do segundo tempo, Michel Bastos tocou para Pato na área, o atacante finalizou, e a bola só não foi para o gol porque bateu no braço esquerdo do zagueiro Juan, que não estava com ele junto ao corpo. Os tricolores reclamaram, mas de nada adiantou.  

Fonte: GLOBOESPORTE