Palmeiras vence nos pênaltis e se classifica para a final do Campeonato Paulista

Não deu nem tempo para respirar no início do dérbi.

O Palmeiras avançou para a final do Campeonato Paulista apenas após decisão nos pênaltis com heroísmo de Fernando Prass. Depois de dois tempos de grande futebol na Arena em Itaquera que terminou em empate por 2 a 2 com o Corinthians, o time comandado por Oswaldo de Oliveira se deu melhor nas cobranças de penalidades - inéditas até então no estádio -, quando venceu por 6 a 5. Agora, encara Santos ou São Paulo na grande decisão do Estadual.

O time alviverde chegou com vantagem para o duelo, pois teve uma semana inteira de descanso – os corintianos enfrentaram o San Lorenzo às 22h (de Brasília) de quinta pela Libertadores. Tite, inclusive, só colorou os titulares Renato Augusto e Elias no segundo tempo, também pensando no duelo contra o São Paulo pela mesma competição, na próxima quarta. A situação ficou clara no segundo tempo, quando o time alviverde cresceu e teve mais “perna” que os adversários.

 Não deu nem tempo para respirar no início do dérbi. Com muita correria, os dois times deixaram o “estudo” de lado e buscaram o ataque desde os primeiros minutos. Mendoza quase marcou primeiro, mas foi Victor Ramos quem abriu o placar após escanteio. O Palmeiras parou de jogar depois de abrir o placar e pagou o preço: Danilo (sempre ele!), que marcava o zagueiro alviverde, fez de cabeça em falha de marcação adversária.

A igualdada deu mais confiança ao Corinthians e, ao mesmo tempo, fez também os palmeirenses saírem um pouco mais para o ataque – desorganizados, não conseguiram chegar bem como no início do duelo. Foi dos pés de Mendoza, então, em chutaço de fora da área, que o time alvinegro conseguiu virar e sair com a vantagem antes do intervalo.

Oswaldo de Oliveira foi ousado para o segundo tempo com a entrada de Cleiton Xavier na vaga do lateral direito Lucas – o volante Gabriel foi deslocado. A etapa final viu a velocidade cair, mas o Palmeiras voltou bem melhor que o adversário e até esboçou uma pressão. Houve até bola na trave de Dudu em grande defesa de Cássio, enquanto os alvinegros não se encontravam. De tanto tentar e de tanto o Corinthians recuar, o gol saiu, com Rafael Marques.

Pênaltis!

O duelo em Itaquera só foi resolvido nos pênaltis e começou com Robinho isolando por cima do gol, mas Elias perdeu a última cobrança. Pelo lado corintiano, Fábio Santos, Renato Augusto e Fágner marcaram. Já no Palmeiras, anotaram Rafael Marques, Victor Ramos, Cleiton Xavier e Dudu. Nas alternadas, Kelvin e Gil fizeram, mas Petros perdeu cobrança após Jackson marcar.

E agora?

Agora, o Palmeiras aguarda o vencedor da outra semifinal, que será ainda neste domingo, para saber quem enfrenta na final do Campeonato Paulista. Em busca do seu 23º título do torneio, o time de Oswaldo de Oliveira começa a decidir no próximo fim de semana, contra Santos ou São Paulo, a final do torneio.

GOLS:

Corinthians 0 x 1 Palmeiras – 14min do primeiro tempo
Após cruzamento em tiro de canto, a zaga não cortou, Victor Ramos ficou com a sobra e chutou para abrir o placar.

Corinthians 1 x 1 Palmeiras – 33min do segundo tempo
Jadson cruzou em cobrança de falta pela direita, Danilo ganhou pelo alto e cabeceou com firmeza para empatar.

Corinthians 2 x 1 Palmeiras – 44min do segundo tempo
Mendoza carregou pelo meio, a zaga não chegou e o atacante acertou chute forte da intermediária para virar.

Corinthians 2 x 2 Palmeiras – 29min do segundo tempo
Dudu dominou pela esquerda, cruzou e Rafael Marques, nas costas da defesa, empatou de cabeça.

Homenagens a corintianos mortos

As organizadas do Corinthians fizeram homenagens aos torcedores da Pavilhão 9 mortos em uma chacina na quadra da torcida na noite do último sábado. Em sinal de luto, faixas foram cobertas com panos pretos e todos se sentaram juntos durante o minuto de silêncio antes do jogo em sinal de respeito, que durou até os 8min do jogo, um para cada vítima. Houve ainda gritos de “Pavilhão 9” nas arquibancadas. De acordo com a polícia paulistana, o caso estava ligado a “acerto de contas” e não a rixa de torcidas.

Juiz sem experiência rende reclamações

Muito se falou antes do jogo sobre a inexperiência do árbitro Thiago Duarte Peixoto, sorteado pela Federação Paulista de Futebol (FPF) para o confronto. Durante o jogo, o juiz provou em alguns momentos que não estava à altura: deixou de dar faltas claras, parou o duelo em vantagens claras e atraiu reclamação de ambos os times.

Corinthians mantém invencibilidades

O empate no tempo normal ao menos garantiu invencibilidades mantidas para o Corinthians. O time continua sem perder em jogos oficiais na temporada 2015 e também aumenta para 32 jogos sem ser derrotado na Arena em Itaquera. Além disso, deixou o Paulistão de 2015 sem perder sequer um duelo.

Fonte: TERRA