Paulinho provoca o São Paulo e admite: "Fiquei p*to no Tottenham"

Na Europa, no entanto, ainda não conseguiu deslanchar e se firmar completamente após um ano e meio.

A semana de Paulinho é de alegria em Londres, não só por voltar ao time titular do Tottenham. Da Inglaterra, o volante vibrou com os gols de Elias e Jadson na vitória do Corinthians por 2 a 0 sobre o São Paulo, na última quarta-feira, em Itaquera, no primeiro Majestoso da história da Copa Libertadores. "Vi o clássico, torci e mais uma vitória do Corinthians, né? Como sempre", provocou o camisa 8, em entrevista ao UOL Esporte em White Hart Lane, logo após o empate em 1 a 1 com a Fiorentina (ITA), jogo de ida do duelo que dá vaga nas oitavas de final da Liga Europa – o gol dos Spurs, marcado pelo espanhol Roberto Soldado, contou com assistência do brasileiro em cobrança de escanteio.


Ídolo do Timão, Paulinho conquistou o Campeonato Paulista (2013), o Brasileiro (2011), a Libertadores (2012) e o Mundial (2012) no Parque São Jorge. Na Europa, no entanto, ainda não conseguiu deslanchar e se firmar completamente após um ano e meio. Depois de um início promissor no segundo semestre de 2013, caiu de produção e perdeu ainda mais espaço no início da atual temporada com a chegada do técnico Mauricio Pochettino.

Com o calendário recheado de jogos, inclusive a final da Copa da Liga contra o Chelsea, em Wembley, no dia 1º de março, o treinador argentino passou a rodar ainda mais o elenco e Paulinho voltou a ganhar oportunidades."Houve alguns momentos no início da temporada em que eu não estava jogando, mas, como sempre, fiz o meu trabalho e agora estou aproveitando o máximo possível as partidas em que eu atuo. Fiz um bom jogo novamente contra a Fiorentina, apesar de estar um pouco cansado na segunda etapa por causa de uma pancada que eu levei", complementou.

A Liga Europa é o principal cenário de apresentação do jogador com Pochettino. Ele participou de oito dos nove confrontos que o Tottenham teve na competição continental – a partida de volta contra a Viola, em Florença (ITA), acontece na próxima quinta-feira, a três dias a decisão contra o Chelsea. No Campeonato Inglês, os números são baixos: esteve em 11 de 25 jogos, e apenas um deles como titular.

Mesmo sem estar entre as 11 prioridades da comissão técnica, Paulinho pode faturar, contra os rivais de Londres, o primeiro título com os Spurs. A felicidade em forma de taça e medalha pode vir um mês depois de ele quase deixar o clube no mercado do inverno europeu. "Fiquei perto de sair, mas em nenhum momento pedi para ser negociado. Quando a janela de transferências abre, todo jogador pode deixar o seu clube e buscar outro desafio. Comigo não foi diferente", acrescentou o meio-campista, que no Brasil teve seu nome ligado a Corinthians, São Paulo e Internacional, mas não quis confirmar nomes de clubes interessados.

"Tiveram clubes do Brasil e da Europa, mas eu, junto com a minha e esposa, que está grávida novamente, e meu representante, decidi continuar nos mais de três meses de temporada. Estou feliz, mas é claro que no início, quando você não está jogando, você fica um pouco para baixo. Eu estava meio puto, mas não com ninguém. Só queria o meu espaço".

Com vínculo até metade de 2017, Paulinho não assegura que permanecerá no norte de Londres até o fim do compromisso firmado. O Tottenham pagou 25 milhões de euros (mais de R$ 75 milhões).

"Pelos clubes que eu passei eu sempre procurei cumprir o meu contrato. Se eu vou cumprir esse ou não, não sei. É difícil falar do futuro. Mas o que eu garanto é até o final da temporada. Não sei se no ano que vem vou continuar ou não".

Desde que desembarcou na Terra da Rainha, Paulinho soma 63 jogos e 10 gols. No domingo, o Tottenham, sexto colocado na Premier League com 43 pontos, recebe o West Ham, oitavo com 38. O Chelsea lidera com 59, sete a mais do que o Manchester City, no segundo lugar.

Fonte: UOL