Athirson chega ao Esporte Clube Flamengo e avisa: "adoro desafios"

Athirson começou a atuar como jogador profissionalmente em 1996

Recém confirmado como novo treinador do Esporte Clube Flamengo do Piauí, o ex-lateral esquerdo Athirson, que se notabilizou por sua trajetória no Flamengo carioca, chegou no final da manhã desta quarta (28) a Teresina. O novo comandante técnico do rubro negro piauiense deu uma entrevista coletiva em um restaurante da zona leste de Teresina, na qual falou de seus planos à frente do "mais querido".

Revelado nas divisões de base do Flamengo, Athirson começou a atuar, profissionalmente, no ano de 1996. Permaneceu no rubro negro até 2001, quando foi para o futebol italiano, atuar pela Juventus de Turim (depois voltaria ao Fla). Também teve passagens pelo CSKA Moscou e pelo Bayer Leverkusen. No Brasil, jogou também pelo Cruzeiro, Botafogo, Portuguesa, Brasiliense e Duque de Caxias.

Image title

Athirson tem 38 anos e iniciou a carreira de treinador neste ano ao comandar o São Cristóvão, que disputou a série B do Campeonato Carioca. O ex atleta foi anunciado em abril e conseguiu evitar o rebaixamento da equipe para a série C da competição. Antes de começar a trabalhar na área técnica, Athirson estava atuando como comentarista esportivo de TV. O contrato formado com o rubro negro de Teresina vai até o meio do ano que vem. Confira os principais tópicos abordados durante a entrevista. 

Expectativas no Fla-PI

"Para mim é um grande prazer assumir o Flamengo do Piauí. O projeto me chamou a atenção. Quero desenvolver o meu trabalho e crescer junto com o clube. É o início de um pensamento para que o Flamengo consiga chegar aos seus objetivos e eu quero fazer parte disso, para crescer como treinador. Tenho muita experiência como atleta, mas agora isso não conta muito. Venho me especializando e estudando. Fiz alguns estágios em alguns clubes do Brasil - com o Doriva no Atlético Paranaense, por exemplo. E fora do Brasil, como no Bayer Leverkusen e no Bayern de Munique também. Isso me traz conhecimento e o prazer de desenvolver o que eu penso para o futebol. Recentemente comandei o São Cristóvão, mas o patamar do Flamengo/PI é muito maior, e a responsabilidade também. Mas eu não tenho medo de desafios - eu adoro desafios. Quando o presidente me fez esse convite eu não pensei duas vezes".

Montagem do time

"Sou ex atleta e conheço muitos empresários, o que facilita a montagem do elenco. Claro que a decisão final será do presidente. Tenho alguns nomes que posso dizer que são bem reconhecidos no futebol brasileiro, e que jogaram comigo no Flamengo, no Cruzeiro...  e também vou observar os atletas que já estão por aqui, é claro. Aos poucos vamos fazendo essa montagem, já que temos um tempo bacana para pensar nisso".

"As condições realmente chamam a atenção por conta do calor. Mas o jogador acaba se adaptando rápido. Como atleta, eu saí do Rio de Janeiro - onde faz 45° C no verão, para a Itália, enfrentar temperaturas de dez graus negativos. Ou seja, foi uma mudança brusca, mas eu tive que me adaptar.  Estamos debatendo bastante, trocando informações para que possamos montar um bom elenco, fazendo com que o time esteja financeiramente bem e, ao mesmo tempo, consigamos fazer um bom trabalho dentro de campo".

O bom momento do maior rival

"Primeiro quero dar os parabéns para o River pelo acesso. É muito legal ver um time se destacando e subindo de série, e isso naturalmente puxa os outros adversários para acompanhar. E o presidente, vendo toda essa evolução, se mexeu e fez alguns planejamentos. Isso me chamou a atenção e essa responsabilidade é muito legal. Na minha vida profissional a cobrança sempre foi muito grande. É algo extraordinário para o futebol local. Os olhos do futebol brasileiro se voltam para cá com a chegada do Athirson. É um cara extremamente conceituado como atleta e que está disposto a enfrentar esse desafio. Vai atrair possíveis investimentos no clube, possibilitando também trazer jogadores com qualidade técnica diferenciada, no nosso trabalho para fazer um Flamengo/PI forte".

O presidente Tiago Vasconcelos também falou sobre a chegada de Athirson à Raposa. Para o cartola, as desconfianças sobre o desempenho do novo treinador não são motivo de preocupação. O cartola também recusou comparações com o técnico anterior, Paulo César Schardong, que também tinha pouca experiência e acabou demitido após duas partidas na Copa Piauí.

Image title

"Sinceramente essa é a minha menor preocupação - e essa é uma comparação até inadequada. O Athirson tem uma história bem maior no futebol, uma trajetória reconhecida. Ele é bem mais preparado. Fez estágio na Alemanha. Temos exemplos de treinadores jovens e bem sucedidos, como é o caso do Roger lá no Grêmio. Lógico que vamos ter um gerenciamento de futebol regional. Estou buscando um gerente de futebol aqui do nordeste - da Bahia ou do Ceará - para auxiliá-lo. Estamos muito felizes. Ele já mostrou um bom trabalho no São Cristóvão, onde pegou um time na zona do rebaixamento e evitou que a equipe caísse.  Ele vai fazer um bom trabalho aqui também".

Questionado sobre o início dos treinamentos, o presidente estipulou uma data - mas alertou que ela pode mudar.

Vamos definir isso com ele, mas a expectativa é de que comecemos no dia 30 de novembro. É um desejo do treinador que se antecipe, mas essa é uma previsão dentro do planejamento que a diretoria fez. Teremos um mês pela frente para discutir isso. Estamos avaliando alguns atletas locais, que estão jogando a segunda divisão do campeonato piauiense, bem como atletas de outros estados da região nordeste. Alguns já entraram de férias, outros estão disputando as séries C e D. Estamos assistindo tudo quanto é campeonato (risos).

Image title

Image title

Fonte: Dowglas Lima - Olé!