Rivais vão aproveitar? Cruzeiro só arranca empate com o Sport fora de casa

Rivais vão aproveitar? Cruzeiro só arranca empate com o Sport fora de casa

O melhor visitante do Campeonato Brasileiro diante do terceiro melhor mandante da competição. O Cruzeiro tentou, mas não conseguiu superar o valente Sport na Arena Pernambuco, em São Lourenço da Mata, na noite deste sábado. O duelo, válido pela 25ª rodada do Brasileiro, terminou em 0 a 0, resultado que anima os times que perseguem o incontestável líder do Brasileirão. Resta saber se eles aproveitarão o fato de Éverton Ribeiro & Cia. não terem engatado novo triunfo.

Com o empate, o Cruzeiro foi aos 53 pontos no Brasileirão, aumentando para nove a sua vantagem para o vice-líder Internacional, que receberá o Coritiba, neste domingo, e soma 44. O São Paulo, que entrará em campo ainda neste sábado contra o Fluminense, soma 43 e também pode aproveitar o tropeço da Raposa. Já o Sport foi aos 36, segue em oitavo e desperdiçou a chance de se aproximar do G4.

Mesmo atuando longe dos seus domínios, o Cruzeiro tratou de chamar para si a responsabilidade logo nos primeiros minutos. Postura esperada para o líder do Campeonato Brasileiro. O Sport, por sua vez, terceiro melhor mandante da competição, não se intimidou diante da Raposa. Assim como havia antecipado o técnico Eduardo Baptista, o Leão marcou e tentou ter a posse de bola para agredir o rival. Transpor a marcação dos comandados de Marcelo Oliveira é que não foi uma realidade para o Rubro-Negro, que levou certo perigo apenas com uma finalização de Neto Baiano, aos 33 minutos.

Já o Cruzeiro bem que tentou. Sobraram movimentação e tentativas de infiltração. Mas faltou mais qualidade no tão decisivo último passe e também nas finalizações. Marquinhos, a novidade da noite, não mostrou a precisão necessária. Afobado, o líder do Brasileirão não rendeu o esperado, apesar de, nos minutos finais, Éverton Ribeiro e Ricardo Goulart só não marcarem graças ao goleiro Magrão. O Cruzeiro agrediu mais – foram dez finalizações contra quatro do Sport –, mas pecou na conclusão. 

NADA DE GOLS NA ETAPA FINAL

Eduardo Baptista não mudou o Sport na volta para a segunda etapa, mas o time pernambucano teve outra postura ao retornar para o jogo. Nos primeiros 15 minutos, por exemplo, o volume de jogo foi muito superior ao dos 45 primeiros minutos. A velocidade que não havia sido vista apareceu, mesmo que sem estar acompanhada da precisão na hora de concluir as jogadas criadas. Esse foi o maior pecado do Leão.
Marcelo Oliveira percebeu que mudar era necessário. Éverton Ribeiro, sem o rendimento esperado, e Marcelo Moreno, que chegou a tropeçar na bola, deixaram o jogo para as entradas de Marlone e Dagoberto, respectivamente, em um espaço inferior a cinco minutos. Mas as tentativas de 'algo novo' não surtiram o efeito esperado, apesar da pressão exercida nos minutos finais. O melhor visitante do Brasileirão não alcançou a sua sétima vitória nesta condição.

Fonte: Lance Net