River joga bem e vence o Santos/AP fora de casa

River joga bem e vence pela série D do Brasileiro

O River recuperou-se em grande estilo do tropeço na estreia da série D. Jogando no estádio Zerão, na cidade de Macapá, o Galo Carijó venceu o Santos do Amapá pelo placar de 1 a 0, na tarde/noite deste domingo, em partida válida pela segunda rodada do grupo 2 da competição. Paulo Paraíba marcou o gol do galo, ainda no primeiro tempo.

Agora, os comandados de Flávio Araújo tem uma semana de trabalho pela frente, visando a partida contra o Guarani de Juazeiro, no Albertão, no domingo (26). Já o Santos/AP visita o time do Imperatriz/MA, no sábado. O mesmo Imperatriz que, aliás, estreou com derrota neste domingo. O time perdeu para o Palmas por 2 a 0, em Porto Nacional/TO. 

Com os resultados da rodada, Palmas e River estão empatados com quatro pontos cada. No entanto, os tocantinenses levam vantagem no saldo de gols e estão na liderança da chave (dois gols de saldo, contra um do time riverino).

O JOGO - Depois de duas boas chances dos donos da casa, o River teve a primeira chance aos cinco minutos. Luís Jorge fez boa jogada, a zaga do Santos afastou, e a bola ficou com Tote. O lateral direito emendou um chute, e a bola acabou saindo.

A pressão inicial do Peixe da Amazônia arrefeceu e o River, marcando a saída de bola do adversário, passou a pressionar - usando inclusive bolas cruzadas na área. Aos 25, a trave salvou o time amapaense de sofrer o primeiro gol. Eduardo passou para Léo Olinda, e este serviu Tote. O camisa 2 bateu e a bola beijou o poste.

De tanto insistir, o River chegou ao gol com Paulo Paraíba. Léo Olinda cobrou falta e o zagueiro Paulo Paraíba cabeceou para o fundo das redes, sem chances para Diego. 1 a 0, na marca dos 30 minutos jogados. 

No fim da etapa inicial, mais duas chances de gol, uma para cada lado: Primeiro André Cabeça quase empatou ao bater cruzado. A bola passou com perigo perto do gol de Naylson. Depois, o time riverino esteve perto de ampliar com Léo Olinda, mas a jogada do meia do Galo parou nas mãos do goleiro Diego.

As equipes voltaram sem alterações para a etapa final, e o que não se alterou também foi o contexto do jogo: os dois times se revezando no ataque, com o Galo sendo mais incisivo: logo aos oito minutos, Léo Olinda provou que estava em tarde inspirada e serviu Luís Jorge na esquerda do ataque. O lateral finalizou, mas pegou mal na bola. Dois minutos depois, o Santos respondeu. Cabralzinho bateu da entrada da área, mas também errou na tentativa.

O técnico Minga tentou dar mais produtividade para o Santos/AP promovendo as entradas de Leto e Jean (Raí e Acosta saíram), mas o time piauiense continuou dominando e criando chances. Fabinho, que havia entrado na vaga de Célio Codó, teve sua oportunidade em lance de contra ataque. Diego defendeu e Carlinhos (que entrou no lugar de Léo Olinda) pegou o rebote, mas mandou para fora. O Santos até tentava, mas esbarrava na falta de pontaria e nas boas intervenções do goleiro Naylson.

Ao fim do jogo, o River ficou com 10 jogadores - mas não se tratou de nenhuma expulsão. O volante Amarildo passou mal e precisou saiu do gramado. Apesar das investidas do Santos no final, o Galo manteve o placar de 1 a 0 e conseguiu a importante vitória longe de seus domínios.

Fonte: Dowglas Lima - Olé!