Sem inspiração, Náutico perde para o Moto Club de virada e fica na laterna do Grupo C do Nordestão

Na quinta-feira, a equipe volta à campo. Vai encarar o Piauí, fora de seus domínios.

Nem mesmo as imporantes defesas de Júlio César foram capazes de garantir a primeira vitória do Náutico na Copa do Nordeste, na tarde deste sábado, no estádio Castelão, em São Luís/MA. O alvirrubro pernambucano perdeu por 3 a 1 para o Moto Club. O resultado deixou o timbu na lanterna do grupo C, com apenas um ponto conquistado. Na quinta-feira, a equipe volta à campo. Vai encarar o Piauí, fora de seus domínios.

Até os 15 minutos iniciais, a pressão para abrir o marcador no estádio Castelão foi do Moto Club. Logo aos dois minutos de jogo, o time da casa desperdiçou a primeira chance de fazer o primeiro gol. Somente aos 15 minutos, o Náutico despertou. Em uma cobrança de falta, Josimar chutou forte e o goleiro Raniere buscou a bola quando esta já havia ultrapassada a linha de gol. Rapidamente, o arqueiro do Moto Club puxou a redonda de dentro da linha. Lance polêmico que o árbitro e o assistente preferiram ignorar.

Não demorou muito para o Náutico deixar sua marca. Aos 20 minutos, em um lançamento do meia Bruno Alves, Josimar matou a bola no peito, deixou que ela caísse e, de esquerda, tocou para dentro do gol de Raniere ( 1 a 0). Desta vez, o goleiro do Moto Club pegou a bola no fundo das redes.

Na sequencia, o Moto voltou a envolver o time Alvirrubro com um bom toque de bola. A transição entre a defesa e o ataque também surtiu efeito. Foi aí que o goleiro Júlio César assumiu o papel de protagonista da partida. Atento a todos os lances ofensivos do Moto Club, o goleirão fez defesas importantíssimas para manutenção do placar.
Aos 34 minutos, Júlio César fez duas defesas seguidas, contendo, mais uma vez, a pressão do Moto, que buscava o empate. Aos 41min, o zagueiro alvirrubro Diego fez pênalti truculento. Sobrou para Júlio César evitar a igualdade no placar. E foi justamente isso o que ele fez. Defendeu a cobrança de Gabriel. Livrou, novamente, a atuação pífia da zaga alvirrubra.

E foi assim durante o segundo tempo. A defesa do Náutico falhava e Júlio César consertava. Aos cinco minutos, Filguera fez falta no jogador Felipe, dentro da área, mas o árbitro não assinalou o pênalti. Três minutos depois, lá estava Júlio César sendo exigido de novo, em um chute forte de Wanderley. Aos 12min, o goleiro do Timbu não resistiu. Depois da bola ficar saltando na defesa do time pernambucano, Gabriel tocou para as redes (1 a 1).

O Náutico teve a oportunidade de se redimir de tantas falhas gritantes no setor defensivo. Renato sofreu pênalt e pediu para cobrar. Chutou por fora. O castigo não demorou a aparecer. Aos 20, Kleo cobrou falta e colocou a bola no canto esquerdo de Júlio César ( 2 a 1). Logo na sequencia, o goleirão alvirrubro fez outra defesa no chute de Felipe Costa. Mas não tardou a sair o terceiro gol do Moto Club. Sem marcação, Naôh ampliou a vantagem da equipe maranhense ( 3 a 1 ). E se não fosse Júlio César, a folia do Moto Club teria sido mais devastadora.



Fonte: Super Esportes