Ganso salva Rogério Ceni, marca mais um de cabeça e São Paulo vence o Ituano por 3 x 2

Ganso salva Rogério Ceni, marca mais um de cabeça e São Paulo vence o Ituano por 3 x 2

Jogador se redime de críticas e, pelo alto, assegura triunfo e invencibilidade do Tricolor no Morumbi. Galo tem boa sequência quebrada

Paulo Henrique Ganso foi o nome do jogo deste sábado no Estádio do Morumbi. O meia precisou de pouco mais de 15 minutos para limpar a barra de Rogério Ceni, que tomou um frango histórico, e garantir a vitória do São Paulo em cima do Ituano por 3 a 2, com gol aos 44 minutos do 2º tempo. O triunfo mantém o São Paulo como o time que menos pontos perdeu, agora com 13 pontos, na 4ª colocação, dois atrás da líder Ponte Preta, que tem 15, mas tem um jogo a mais. O time do interior fica com nove, estacionado na 13ª colocação.

Com Tolói em campo, depois de muita insistência da torcida, o São Paulo sofreu muito mais para armar o time do que para se defender. Não à toa, os dois gols dos visitantes aconteceram em falhas individuais, de Rogério Ceni, que aceitou chute de muito longe, e de Cortez, que deixou espaço para Leandro Silva criar a jogada que empatou o placar momentaneamente. Ganso, com mais um gol de cabeça, garantiu os três pontos são-paulinos.

Novamente pelo Campeonato Paulista, o São Paulo volta a campo para diminuir a diferença de jogos em relação a seus concorrentes. Sem partida pela Libertadores, a equipe de Ney Franco desafia o São Caetano fora de casa, às 19h30 da próxima quarta-feira. Já o Ituano volta para casa e recebe o Guarani, mas só no no próximo domingo, às 18h30.

O jogo começou equilibrado, com os times errando na hora de tentar criar a chance de perigo. O primeiro chute feito no gol acabou balançando as redes. Jadson recebeu passe de Denílson e colocou Osvaldo na cara do gol. Pela esquerda, na entrada da área, o atacante dominou da melhor forma possível e só esperou o goleiro sair para abrir o placar.

O jogo parecia controlado pelo São Paulo, que pouco precisava se preocupar com o Ituano.Até que Rogério Ceni falhou de maneira bizarra. Kleiton Domingues chutou bem fraco de fora da área, e o goleiro pulou para encaixar tranquilamente. No meio do movimento, a bola acabou batendo nas suas mãos e passando a linha, empatando o placar e silenciando o Morumbi. Poucos minutos depois, ele teve a chance de se redimir da falha e ouviu o "uh" da torcida. A bola bateu no travessão no último lance de perigo da etapa inicial.

Na saída de campo, o goleiro não quis conversar com os repórteres que o cercaram instantaneamente e apenas apontou para ele mesmo, reconhecendo o erro.

Na etapa final, o São Paulo voltou com pressa para voltar a mandar no placar e teve seu objetivo cumprido logo aos 5 minutos. Jadson cobrou falta, a bola passou por todo mundo e não chegou a desviar em ninguém, diretamente para o gol. Lúcio chegou a sair comemorando o tento como se ele fosse seu, mas a súmula aumentou a artilharia do camisa 10.

Novamente à frente, Ney Franco resolveu colocar sangue novo no seu time. Lúcio deixou o campo para a entrada de Rhodolfo, e Wellington foi substituído por Maicon. Pouco tempo depois da troca, quem apareceu foi Douglas. O lateral fez ótima jogada pela direita, entrou na área e chutou cruzado. A bola acertou o pé da trave e sobrou para Luís Fabiano. O atacante desperdiçou a chance e colocou por cima do travessão.

Foi neste momento que veio à tona o ditado do "quem não faz toma". Em uma descida em velocidade de Leandro Silva nas costas de Cortez, o jogador do Ituano deu passe perfeito para Adaílton, que só empurrou para garantir o empate do placar. Enquanto isso, Ganso já estava no aquecimento e acabou entrando no lugar de Aloísio.

A entrada do camisa 8 fez o Ituano se recuar ainda mais. O time do interior passou a jogar no erro do adversário e só saía no contra-ataque. A tática não deu certo. Paulo Henrique Ganso voltou a aparecer de cabeça. Ele recebeu belíssimo cruzamento de Osvaldo e tocou de cabeça para garantir a vitória aos 44 minutos do 2º tempo.

Fonte: UOL