Ronaldinho Gaúcho se envolve em acidente com seu Porschee é socorrido por atacante

Ronaldinho Gaúcho se envolve em acidente com seu Porschee é socorrido por atacante

O carro do jogador, um Porsche, dirigido pelo motorista do jogador, se acidentou com um Chevette

Ronaldinho Gaúcho se envolveu em um acidente na tarde desta quinta-feira, pouco antes da reapresentação do elenco do Atlético-MG, mas não ficou ferido, segundo a Polícia Militar de Minas Gerais. O titular do alvinegro mineiro estava em um dos seus carros, deixando o condomínio em que ele reside em Lagoa Santa, na Região Metropolitana de Belo Horizonte.

O carro do jogador, um Porsche, dirigido pelo motorista do jogador, se acidentou com um Chevette, na rua Acadêmico Nilo Figueiredo, próximo ao Condomínio Estância das Amendoeiras, em Lagoa Santa, onde mora o camisa 49 atleticano. A batida aconteceu em frente à sede da Aeronáutica, logo na entrada da cidade.

A diretoria do Atlético-MG, por meio de sua assessoria de comunicação, confirmou o acidente, mas garantiu que o jogador nada sofreu. Ronaldinho Gaúcho foi socorrido pelo atacante Jô, que seguia em seu carro logo atrás e o levou até a a Cidade do Galo, no vizinho município de Vespasiano. Os dois jogadores se reapresentaram ao técnico Cuca e participaram do rápido treino regenerativo, realizado nesta quinta-feira, junto com os demais atletas.

Ambos deixaram juntos o CT atleticano após a reapresentação. Inicialmente, a Polícia Militar de Minas Gerais havia informado que a batida acontecera após o treinamento atleticano, informação corrigida pela assessoria do clube alvinegro. O UOL Esporte apurou com um policial militar, que esteve no local, que a motorista do Chevette, de 71 anos, teve de ser atendida, com ferimentos leves, por uma viatura do Samu. O motorista de Ronaldinho, cujo nome não foi informado, continuou no local para a realização do boletim de ocorrência pela PMMG.

?O Chevette que seguia para Belo Horizonte, colidiu com o Porsche do jogador, que retornava para o outro sentido?, contou o policial militar Éderson Miranda Marinho. Segundo ele, quando a polícia chegou ao local, Ronaldinho já não estava mais ali e a condutora do veículo se queixava de dores no pescoço.

Também em um primeiro momento foi informado que Jô estava no mesmo carro de Ronaldinho. O empresário e irmão do jogador, Roberto Assis, disse que Ronaldinho lhe telefonou informando sobre a batida, que não causou danos ao Porsche e pedindo que ele avisasse ao diretor de futebol atleticano, Eduardo Maluf, sobre o ocorrido, prevenindo-o sobre um possível atraso na reapresentação, o que acabou não acontecendo. Segundo Assis, como Jô, que estava na casa de Ronaldinho, vinha logo atrás, deu carona ao companheiro, levando-o no horário marcado para o início da preparação visando o jogo com o Coritiba, no próximo domingo, às 19h30.

Fonte: UOL