Gaviões apresentará garoto de 17 anos como autor do disparo

Gaviões apresentará garoto de 17 anos como autor do disparo

Organizada do Corinthians afirma que, nesta segunda-feira, menor de idade vai assumir uso do sinalizador que matou adolescente de 14 anos na Bolívia.

Enquanto 12 torcedores do Corinthians estão presos em Oruro, na Bolívia, a Gaviões da Fiel, principal torcida organizada do time, prometeu apresentar à polícia brasileira nesta segunda-feira um garoto de 17 anos como o autor do disparo de sinalizador que matou o adolescente Kevin Espada. A informação é do jornal ?Folha de S.Paulo?. O menino boliviano, de 14 anos, foi atingido no jogo contra o San José, na quarta-feira, pela Taça Libertadores da América.

O menor, cujo nome não foi divulgado, não chegou a ser detido pela polícia boliviana e voltou para o Brasil. De acordo com a Gaviões, o garoto queria se entregar ainda na Bolívia, mas como a torcida se julga responsável por ele, preferiu aguardar o retorno a São Paulo. Alega-se também que, em Oruro, o clima de revolta poderia representar um risco para o rapaz. Ele retornou no sábado, de ônibus, com outros torcedores que assistiram à partida contra o San José. O advogado que representa a torcida organizada afirma que o disparo foi acidental.

Enquanto o menor não é apresentado à polícia, 12 corintianos estão na penitenciária de San Pedro. Eles foram indiciados e aguardam julgamento, mas durante todo o tempo negaram que o autor do disparo esteja entre eles. O embaixador do Brasil na Bolívia, Marcel Fortuna Biato, chega a Oruro neste domingo para ajudar os torcedores.

As duas celas que abrigam os torcedores na penitenciária estão isoladas de outros detentos. Apesar de não haver contato físico e visual, os corintianos conseguem ouvir os outros presos. De acordo com a esposa de um dos brasileiros, na chegada eles escutaram os bolivianos gritando ?San José, San José?. O clima, segundo ela, era ?assustador?. O responsável pelo presídio, o coronel Carlos Coritza, admitiu que a capacidade do local é para 300 presos, mas hoje há cerca de 500 no local.

No plano esportivo, o Corinthians já foi punido pela Conmebol e terá de jogar suas partidas como mandante na Libertadores sem torcida, de portões fechados. Nos jogos fora de casa, corintianos não poderão comprar ingressos. O clube tenta anular a decisão e aguarda uma posição da Confederação Sul-Americana.

Fonte: GloboEsporte