Gêmeos encerram sonho brasileiro e faturam o quarto Grand Slam seguido

Gêmeos encerram sonho brasileiro e faturam o quarto Grand Slam seguido

Se a chance de Marcelo Melo foi encerrada meste sábado, o Brasil ainda pode faturar um título em Londres no domingo.

O sonho brasileiro de conquistar uma taça em Wimbledon pela primeira vez em 47 anos foi adiado, pelo menos por um dia. Neste sábado, Marcelo Melo, ao lado do croata Ivan Dodig, acabou derrotado pelos irmãos Bob e Mike Bryan na final da chave de duplas masculinas em Londres. Os americanos venceram com parciais de 3-6, 6-3, 6-4 e 6-4 e, assim, se tornaram os primeiros duplistas na história a serem os donos das taças dos quatro Grand Slams ao mesmo tempo.

Se a chance de Marcelo Melo foi encerrada meste sábado, o Brasil ainda pode faturar um título em Londres no domingo. Bruno Soares entra em quadra, ao lado da americana Lisa Raymond, na final de duplas mistas - enfrente a dupla formada pelo canadense Daniel Nestor e pela francesa Kristina Mladenovic.

O Brasil, por enquanto, segue sem taça em Wimbledon desde 1966, quando Maria Esther Bueno conquistou tanto o troféu de simples como em duplas. Contando todos os Grand Slams, o jejum é menor: Soares venceu o US Open, nas duplas mistas, em 2012. Em simples, o último título foi o terceiro de Gustavo Kuerten, em Roland Garros, em 2001.

Bob e Mike Bryan são considerados a melhor dupla da história do tênis. Número um do mundo há 310 semanas, eles chegaram ao 15° título de Grand Slam e ao 91° troféu na carreira. Além de terem conquistado os últimos quatro Slams, também foram ouro nas Olimpíadas de 2012.

A esperança de título para Marcelo Melo e Dodig ganhou força no primeiro set da decisão. Eles chegaram a abrir 5 a 0 ao aproveitarem break-points no segundo e no quarto games. Quando um "pneu" (6 a 0) ou mesmo um set vencido por 6 a 1 poderia quebrar a confiança dos Bryan, os americanos mostraram poder de recuperação e diminuíram para 5 a 3, antes de caírem.

Apesar de ficarem atrás na partida, os gêmeos ganharam confiança e se recuperaram: quebraram o saque da dupla formadsa pelo brasileiro e pelo croata logo no segundo game, para apenas precisarem confirmar seus serviços para fechar em 6 a 3 e empatar o jogo.

A partir daí, eles mostraram porque são os melhores do mundo. No terceiro set eles novamente só precisaram de uma quebra logo no começo para garantir o triunfo e, no set decisivo, foram cirúrgicos.

Uma única quebra, para abrir 5 a 4 e só precisarem sacar para conquistar o título. Tática correta, taça nas mãos dos gêmeos.

Fonte: UOL