Giba avisa: Após Londres, eu passo o bastão"

Giba avisa: Após Londres, eu passo o bastão"

Capitão da seleção brasileira quer se despedir da competição levando o tri

Bicampeão mundial com a seleção brasileira (em 2002 e 2006) e eleito melhor jogador na última edição. Nas Olimpíadas de Atenas, em 2004, a história se repetiu. A medalha de ouro nos Jogos Pan-Americanos do Rio, em 2007, veio para coroar uma conquista em casa. E só na Liga Mundial foram oito taças e um título individual de melhor da competição, em 2006. Os intervalos entre um sucesso e outro foram curtos, mas a idade já faz Giba pensar em parar. Aos 33 anos, o capitão avisa que a carreira na seleção está chegando ao fim. Mas, antes disso, ele quer garantir mais um troféu para a coleção: o tri mundial.

- Depois de Londres (2012) eu passo o bastão para os jogadores que estão aí. Acho que isso é uma coisa normal de acontecer. Mas antes, vamos tentar ganhar o último mundial como jogador - diz o ponteiro.

Na seleção desde 1995, quando conquistou a medalha de bronze na Copa do Mundo, o paranaense quer deixar a equipe após os Jogos Olímpicos, daqui a dois anos. Como legado para os mais novos, fica o exemplo de um campeão. Aliás, dessa nova geração brasileira que embarcou na quarta-feira para a Europa, dez atletas nunca disputaram um Mundial. No grupo, apenas Giba, Rodrigão, Dante e Murilo já viveram a experiência.

A caminhada rumo à conquista do tricampeonato começa no próximo dia 25, contra a Tunísia. No dia seguinte, é a vez de enfrentar a Espanha e Cuba encerra a participação na primeira fase. No entanto, antes de estrear, o Brasil faz os últimos ajustes numa série de três amistosos contra a Alemanha, na cidade de Heidelberg, onde encerra a fase de preparação, no dia 22.

Fonte: Globo Esporte, www.globoesporte.com