Vôlei: Giba diz temer trauma nos filhos por separação e cogita aposentadoria

Vôlei: Giba diz temer trauma nos filhos por separação e cogita aposentadoria

Pirv, ex-jogadora de vôlei, tem a guarda dos filhos Nicoll, de sete anos, e Patrick, de três.

O ponteiro Giba afirmou que as batalhas judiciais que tem contra sua ex-mulher, Cristina Pirv, podem trazer consequências negativas para os seus filhos e disse estar preocupado com possíveis traumas nas crianças.

Pirv, ex-jogadora de vôlei, tem a guarda dos filhos Nicoll, de sete anos, e Patrick, de três. O casal se separou em novembro do ano passado depois de reclamações de Pirv quanto a supostas traições.

"Quem está sofrendo são meus filhos. Só consigo falar com eles via mandado jurídico, advogado. Isso me deixa triste, não tenho nada contra ela. O que me preocupa é como os filhos estão sofrendo e essa briga pode causar trauma pra eles", falou, em entrevista ao programa Esporte Espetacular, da TV Globo.

Cristina e Giba estavam vivendo juntos até novembro do ano passado em Buenos Aires, onde o jogador defendia o Drean-Bolívar. Eis que um dia ela desabafou no Twitter e falou que estava cansada do relacionamento e das traições.

Na última semana, em entrevista ao UOL Esporte, Pirv disse que o ex-marido já morreu para ela e que as crianças estão bem.

"Eles estão bem, dentro do esperado para uma separação. [Há] alguns momentos tranquilos e outros difíceis. Contei com a ajuda dos profissionais para explicar bem a eles algumas questões. Mas com muito amor e cuidado eles vão superar essas dificuldades", falou.

"Pra mim sempre teve uma grande diferença entre Gilberto e Giba. Dentro da nossa família era sempre Gilberto, a pessoa que me apaixonei e estimei, então o Gilberto pra mim morreu. Ficou o Giba, um grande ex-jogador."

Giba está atualmente sem clube e disse que pode se aposentar caso não consiga uma equipe para jogar no Brasil."Difícil de acreditar, né? Até porque eu deixei a seleção ano passado, tive várias propostas de fora do país. Optei por ficar no país, quero ficar no país. Vou continuar meus estudos. Foram oito anos fora, quero ficar por aqui. (Se não tiver proposta), me aposento."

Fonte: UOL