Goleiro sangra após pedrada e juiz não para a partida

Goleiro sangra após pedrada e juiz não para a partida

Goleiro Martín Silva foi atingido pela torcida do Independiente durante jogo contra o Defensor

A imprensa argentina criticou o árbitro brasileiro Wilson Seneme, que apitou o jogo entre Independiente e Defensor, pela Copa Sul-Americana, e não tomou providências enérgicas depois que o goleiro do time uruguaio, Martín Silva, foi atingido por uma pedra.

A partida, realizada nesta terça-feira no estádio Avellaneda, terminou com o placar de 4 a 2 para o Independiente, que se garantiu nas quartas de final do torneio.

"Tudo foi uma loucura: a agressão a Martín Silva, o fato de alguns funcionários do Independiente tentarem esconder a pedra que feriu o goleiro uruguaio e o árbitro brasileiro Wilson Seneme ter permitido que o jogo continuasse como se nada tivesse acontecido", afirmou o jornal "La Nación".

"É absolutamente inaceitável que um torcedor do Independiente tenha feito isso, com o risco de sua equipe ser eliminada quando estava ganhando por 3 a 1 - placar que garantiria classificação dos argentinos", acrescentou o jornal.

"A mancha da partida foi a agressão a Silva", completou o "Clarín", que critica a atitude de Seneme ao destacar que não respondeu aos protestos dos jogadores da equipe uruguaia e assinala que é muito provável que o estádio seja vetado para o jogo de ida das quartas, contra o colombiano Deportes Tolima.

"Seneme não teve personalidade para suspender a partida", segundo o "Diário Popular", que afirma ainda que com sua omissão, o árbitro se esquivou de resolver um problema e deixou que a continuidade da partida dependesse da boa vontade de Silva, que poderia ter se recusado a voltar a campo.

Fonte: Globo Esporte, www.globoesporte.com