GP do Japão: Vettel leva o bicampeonato, Button vence e Massa chega em sétimo

GP do Japão: Vettel leva o bicampeonato, Button vence e Massa chega em sétimo

Alemão da RBR se torna o sétimo piloto a conquistar um título no circuito de Suzuka.

Parecia que após a pole sensacional no sábado e a ousada largada deste domingo, quando fechou Jenson Button e manteve a ponta, Sebastian Vettel repetiria o roteiro de domínio no GP do Japão. Entretanto, o alto desgaste dos pneus macios em Suzuka mudou um pouco a história da corrida, mas não o destino do título mundial. Atrás de apenas um ponto, Vettel fez uma prova sem correr riscos, chegou em terceiro lugar e se tornou o bicampeão mais jovem da história da Fórmula 1 aos 24 anos, três meses e seis dias. Único capaz de impedir a conquista do rival no Japão, o inglês da McLaren fez o que precisava: venceu. Fernando Alonso, da Ferrari, foi o segundo colocado.

Vettel chegou aos 324 pontos em 2011 e não pode mais ser alcançado por seus concorrentes. O alemão se tornou o sétimo piloto a conquistar um título em Suzuka, na 11ª decisão desde que ele entrou no calendário, em 1987 (só esteve fora em 2007 e 2008, quando o GP foi realizado em Monte Fuji). Ele se junta ao seleto grupo formado por Ayrton Senna (1988, 1990 e 1991), Mika Hakkinen (1998 e 1999) e Michael Schumacher (2000 e 2003), Nelson Piquet (1987), Alain Prost (1989) e Damon Hil (1996), que foram campeões da F-1 no tradicional circuito japonês.

Button deu um show de estratégia na corrida e chegou aos 210 pontos no campeonato. O inglês apostou em seu talento para conservar os pneus e lucrou com isso, conseguindo sua primeira vitória pela McLaren em pista seca. Na briga pelo vice-campeonato, ele abriu oito pontos de vantagem sobre Fernando Alonso, segundo colocado na corrida. Também com chances, Mark Webber, da RBR, terminou em quarto em Suzuka e tem agora 194 pontos no Mundial de Pilotos. A próxima corrida será o GP da Coreia do Sul, no circuito de Yeongam, no dia 16 de outubro.

Após duas semanas, a polêmica de Cingapura retornou com força em Suzuka. Lewis Hamilton, que chegou em quinto e também tem chances de lutar pelo vice em 2011, tocou em Felipe Massa na 22ª volta e danificou a asa dianteira da Ferrari. O incidente foi investigado pelos comissários do GP do Japão, mas eles decidiram não punir o inglês.

O brasileiro acabou apenas na sétima posição, atrás do alemão Michael Schumacher, da Mercedes, o sexto colocado. Bruno Senna saiu na nona posição, mas teve problemas na largada e ficou longe dos dez primeiros em Suzuka. O brasileiro sofreu com os danos à asa dianteira no início e chegou apenas em 16º. Vitaly Petrov, seu companheiro, foi o nono colocado e fez dois pontos. Rubens Barrichello, da Williams, também não andou bem e foi só o 17º colocado no GP do Japão.

A corrida


O domingo começou com tempo ensolarado em Suzuka, sem a ameaça de chuva para a corrida. Na largada, Vettel manteve a ponta, mas fechou Button, que saiu melhor. O inglês chegou a colocar duas rodas na grama, mas se manteve na pista. Entretanto, ele perdeu a posição para o companheiro Hamilton na primeira curva do circuito, caiu para terceiro e reclamou pelo rádio. Os comissários investigaram o incidente, mas decidiram não punir o alemão da RBR. Massa se manteve à frente de Alonso, em quarto. Bruno Senna e Barrichello perderam posições.


Na sexta volta, Alonso usou a asa móvel para passar o companheiro Massa na reta dos boxes e assumir a quarta posição. Com o alemão em primeiro e abrindo vantagem para Hamilton, o desgaste dos pneus macios começou a aparecer, principalmente nos carros da RBR. O inglês da McLaren teve um furo de pneu, foi superado por Button na oitava passagem e teve de entrar para um pit stop de emergência, perdendo algumas posições.

O alto desgaste antecipou a parada de Vettel para a nona volta, no que foi seguido por Button na 11ª. A diferença entre os dois caiu e o inglês da McLaren começou a ameaçar o alemão da RBR. Nessa altura, antes de seu pit stop, Massa liderava a prova, mas caiu para quinto após entrar nos boxes. Ele voltou atrás de Hamilton, na reedição do duelo polêmico de Cingapura.

Na frente, Vettel e Button continuavam a trocar voltas mais rápidas, mas o alemão precisou fazer o pit stop mais cedo, na 20ª volta. Administrando melhor o desgaste dos pneus macios, o inglês ficou na pista tentando andar rápido. A tática deu certo e ele conseguiu superar o líder do campeonato após sua parada, na passagem seguinte.

Hamilton e Massa continuavam a andar juntos. E na 22ª volta, a polêmica voltou. O brasileiro tentou a ultrapassagem na freada para a chicane Triangle e o inglês ignorou a presença do rival: jogou o carro para o lado e danificou a asa dianteira da Ferrari. Apesar do risco de punições, os comissários decidiram não tomar atitudes contra o inglês da McLaren.

O detrito deixado pela Ferrari provocou a entrada do safety car na 24ª volta. Os pilotos foram reagrupados e a relargada foi autorizada três passagens depois. Button manteve a ponta, seguido por Vettel, que fez sua última parada na 34ª volta. O alemão colocou os pneus médios mais cedo que seus rivais e começou a perder tempo na pista. Com isso, perdeu a segunda posição em Suzuka para Alonso, que entrou nos boxes na 38ª. O espanhol conseguiu a vantagem ao andar mais rápido antes da troca.


As últimas voltas foram palco de uma perseguição de Vettel a Alonso. O alemão chegou a tentar duas vezes a ultrapassagem sobre o espanhol, sem sucesso, mas a equipe pediu que ele poupasse o carro para o final. Depois foi a vez do espanhol tentar um bote sobre Button, mas o rival soube administrar a corrida até o fim. Após a chegada e o bi de Vettel, o inglês parou sua McLaren após a saída dos boxes, sem condições de completar a volta da vitória.

 

Confira o resultado final do GP do Japão, em Suzuka (307,573 quilômetros):

1 - Jenson Button (ING/McLaren-Mercedes) - 53 voltas em 1h30m53s427

2 - Fernando Alonso (ESP/Ferrari) - a 1s160

3 - Sebastian Vettel (ALE/RBR-Renault) - a 2s006

4 - Mark Webber (AUS/RBR-Renault) - a 8s071

5 - Lewis Hamilton (ING/McLaren-Mercedes) - a 24s268

6 - Michael Schumacher (ALE/Mercedes) - a 27s120

7 - Felipe Massa (BRA/Ferrari) - a 28s240

8 - Sergio Pérez (MEX/Sauber-Ferrari) - a 39s377

9 - Vitaly Petrov (RUS/Renault-Lotus) - a 42s607

10 - Nico Rosberg (ALE/Mercedes) - a 44s322

11 - Adrian Sutil (ALE/Force India-Mercedes) - a 54s447

12 - Paul di Resta (ESC/Force India-Mercedes) - a 1m02s326

13 - Kamui Kobayashi (JAP/Sauber-Ferrari) - a 1m03s705

14 - Jaime Alguersuari (ESP/STR-Ferrari) - a 1m04s194

15 - Pastor Maldonado (VEN/Williams-Cosworth) - a 1m06s623

16 - Bruno Senna (BRA/Renault-Lotus) - a 1m12s628

17 - Rubens Barrichello (BRA/Williams-Cosworth) - a 1m14s191

18 - Heikki Kovalainen (FIN/Lotus-Renault) - a 1m27s824

19 - Jarno Trulli (ITA/Lotus-Renault) - a 1m36s140

20 - Timo Glock (ALE/MVR-Cosworth) - a 2 voltas

21 - Jerome D"Ambrosio (BEL/MVR-Cosworth) - a 2 voltas

22 - Daniel Ricciardo (AUS/Hispania-Cosworth) - a 2 voltas

23 - Vitantonio Liuzzi (ITA/Hispania-Cosworth) - a 2 voltas

Não completou: Sebastien Buemi (SUI/STR-Ferrari) - a 42 voltas/roda

Melhor volta: Jenson Button (ING/McLaren-Mercedes) - 1m36s568, na 52ª

Fonte: Globo Esporte, www.globoesporte.com