Grandes seleções correm risco de não irem à Copa da Rússia

Itália pode ir para a repescagem e Holanda correr risco de não ir

A Argentina começou a rodada das Eliminatórias para a Copa do Mundo de 2018, na Rússia, em apuros. O time era o sexto colocado, fora da zona de classificação até mesmo para a repescagem. Mas a atuação de gala de Lionel Messi mudou tudo isso, os argentinos venceram a Colômbia por 3 a 0 e subiram uma posição para respirar com um pouco mais de calma. Outros gigantes do futebol mundial, no entanto, não podem dizer o mesmo.

Europa: Itália pode precisar da repescagem

As eliminatórias da Europa são o maior exemplo. Olhe a Itália: dona de quatro títulos mundiais, a Azurra não perde em Eliminatórias desde 2006, mas está em segundo lugar de seu grupo e ameaçada pela repescagem. Tudo bem que ela está empatada com dez pontos com a Espanha, mas seu grupo, o G, é um dos mais disputados até agora no continente. O terceiro lugar é de Israel, com nove pontos, pressionando os dois campeões mundiais. Detalhe: na Europa, apenas o primeiro colocado de cada grupo vai para a Copa do Mundo de forma direta. Apenas os oito melhores segundos lugares passam para a repescagem, jogos de ida e volta dentro do continente por quatro vagas.

Suíça ameaça campeões de Portugal

Cristiano Ronaldo  (Crédito: Reuters)
Cristiano Ronaldo (Crédito: Reuters)

É justamente esse detalhe que preocupa, também, a Holanda e a nova campeã europeia, Portugal. As duas seleções estão em segundo lugar, realmente ameaçadas. O caso dos portugueses é emblemático. O time de Cristiano Ronaldo até ganhou da Letônia nesta rodada por 4 a 1, mas seus rivais, a Suíça, seguem perfeitos: com 2 a 0 sobre as Ilhas Faroe, os suíços estão perfeitos nas Eliminatórias até agora, com quatro vitórias (incluindo um 2 a 0 sobre Portugal na estreia na competição). Só Alemanha, no Grupo C, e Bélgica, no Grupo H, venceram todos os jogos disputados até agora.

Holanda estaria fora até da repescagem

A Holanda também preocupa. É verdade que o time do técnico Danny Blind venceu por 3 a 1 na rodada, mas foi sobre Luxemburgo. O problema é a pontuação: com sete pontos em quatro jogos, e apenas oito gols marcados, os holandeses são o pior segundo colocado de toda a Europa, atrás da Irlanda do Norte (Grupo C) no saldo de gols e de Montenegro (Grupo E) nos gols marcados. Enquanto isso, a França (2 a 1 sobre a Suécia) abre dentro do grupo, com dez pontos – três a mais do que holandeses e suecos, em terceiro lugar.

Polônia x Irlanda: quem é a surpresa europeia? 

Lewandowski (Crédito: Reuters)
Lewandowski (Crédito: Reuters)

No lado positivo, quem olha para as Eliminatórias europeias consegue ver algumas boas surpresas. Um caso é a Polônia (3 a 0 sobre a Romênia na última rodada): comandados pelo artilheiro Lewandowski, os poloneses lideram o grupo E com dez pontos, três a mais do que a vice-líder Montenegro (seleção derrotada por 3 a 2 pela Armênia). Tão surpreendente quanto é a performance da Irlanda (1 a 0 na Áustria), também dez pontos e primeiro lugar do Grupo D – a Sérvia (1 a 1 com País de Gales) é a segunda, com oito pontos. Até a Inglaterra tem motivos para sorrir. Mesmo com toda a polêmica envolvendo a saída de Sam Allardyce (por denúncias de corrupção), os ingleses seguem invictos nas Eliminatórias, liderando sua chave com dez pontos – a vitória por 3 a 0 sobre a Escócia foi a 33ª partida sem derrota em Eliminatórias Europeias e deve garantir a efetivação de Gareth Southgate no comando do time.

África: Camarões ficam para trás após empate

Essa preocupação não é exclusiva dos gigantes europeus. Na África, na Ásia e na Concacaf grandes seleções também estão ameaçadas. Olhe Camarões. Tetracampeões da Copa das Nações Africanas, campeã olímpica em 2000 e classificada para cinco das últimas seis edições do Mundial, está com a corda no pescoço após empatar em 1 a 1 com zâmbia. Nas Eliminatórias Africanas, apenas o campeão de cada grupo vai à Copa e Camarões é o segundo colocado de sua chave, com apenas dois pontos. A liderança é da Nigéria (3 x 1 sobre a Argélia), com seis. As duas seleções se enfrentam nas duas próximas rodadas das Eliminatórias, marcadas apenas para agosto e setembro do ano que vem.

Concacaf: EUA se complicam com duas derrotas

É um quadro parecido com o que enfrenta os EUA nas Eliminatórias da Concacaf. Após se classificar para as últimas sete Copas do Mundo, os norte-americanos dividem o último lugar com Trinidad e Tobago, com duas derrotas (2 a 1 para o México e 4 a 0 para a líder Costa Rica) em duas rodadas da fase final. Enquanto isso, o Panamá é a grande surpresa, com quatro pontos, após vitórias sobre Honduras (1 a 0) e um empate com o México (0 a 0).

Ásia: Austrália pode ter de ir para repescagem

Na Ásia, quem está enrolado é a Austrália. Desde que migrou da Oceania para a Ásia em 2006, os australianos nunca deixaram de se classificar para a Copa. Na última rodada, os Socceroos apenas empataram com a Tailândia por 2 a 2 e caíram para o terceiro lugar do Grupo B. A sua frente, dois times em alta no continente: Arábia Saudita e Japão (que se enfrentaram nessa rodada, com vitória japonesa por 2 a 1), empatados com dez pontos – um a mais do que australianos. Só os dois primeiros colocados de cada chave se classificam para a Copa. Em terceiro, os australianos teriam de disputar um lugar na repescagem. Na outra chave, a liderança é do Irã, com 11 pontos, um a mais do que a Coreia do Sul.

Fonte: Com informações do Uol