Grêmio goleia e afunda Fluminense

O resultado colocou a equipe de Paulo Autuori na quinta colocação, com 39 pontos, dois a menos que o Atlético-MG

Adílson disse que, para o torcedor do Grêmio, vencer o Fluminense seria como bater em bêbado. Os cariocas retrucaram, mas acabaram deixando o Olímpico trançando as pernas na luta contra o rebaixamento. Com um sonoro 5 a 1, com direito a 3 a 0 em apenas 23 minutos, o Tricolor gaúcho nocauteou o carioca neste domingo, em jogo válido pela 25ª rodada do Brasileirão e segue firme na luta por uma vaga na Libertadores. Adeílson e Cássio, ambos contra, Tcheco, Souza e Jonas marcaram os gols para o time da casa. Kieza descontou.

O resultado colocou a equipe de Paulo Autuori na quinta colocação, com 39 pontos, dois a menos que o Atlético-MG, quarto, enquanto o time de Cuca, há dez partidas sem vencer, permanece na lanterna, com 18.

Na próxima rodada, o Fluminense recebe o Avaí, sábado, às 18h30m (de Brasília), no Maracanã. Já o Grêmio tem briga direta pelo G-4 pela frente: vai até Goiânia enfrentar o Goiás, no Serra Dourada, domingo, às 16h.

AVALANCHE GREMIS DEFINE A PARTIDA EM 23 MINUTOS

Durante a semana Cuca frisou bastante os pontos fortes do Grêmio: a pressão nos minutos iniciais, a bola parada e as jogadas aéreas. Parece que a orientação não foi bem assimilada pelo elenco. Justamente em cima dessas três características, o time gaúcho partiu para cima do Fluminense e precisou de apenas 23 minutos para aumentar para 33 partidas a série invicta em casa, que já dura mais de um ano.

No primeiro lance de perigo, Rafael até salvou os cariocas: aos seis minutos, Tcheco levantou a bola na área, Réver emendou após bate e rebate. O goleiro salvou com os pés e impediu também o gol de Herrera no rebote. No contra-ataque, Conca também obrigou Victor a fazer boa defesa. Mas na quinta falta cometida pelo Flu em apenas dez minutos veio o castido.

Souza cruzou com força, e Adeílson, no primeiro pau, ao tentar fazer o corte marcou contra. A desvantagem deixou o time carioca totalmente desnorteado, e, aos 16, Gum presentou o rival com um pênalti ao puxar Herrera infantilmente na área após cruzamento. Na cobrança, muita polêmica.

Na disputa pela artilharia, Jonas conversou com Tcheco e assumiu a responsabilidade. Do banco de reservas, Paulo Autuori se revoltou com a decisão e observou o atacante cobrar muito mal para a defesa de Rafael. Para a sorte do camisa 9, o auxiliar identificou um avanço do goleiro e mandou a cobrança ser repetida. Na segunda chance, bola para o cobrador oficial e Tcheco balançou as redes, aos 18.

A essa altura, o volante Adílson, que pouco apareceu no jogo, já tinha uma certeza: se o Fluminense não era o bêbado que ele previu, estava tonto como tal. Tanto que aos 23 a fácil vitória se transformou em goleada. Com muita liberdade, Tcheco avançou pela direita, levantou a cabeça e cruzou para Souza dividir de carrinho com Diogo e marcar: 3 a 0.

Sem muita opção, o Tricolor carioca até se mandou para o ataque, mas o chute nas alturas de Adeílson, aos 24, deu o tom do desespero. Dono do jogo, o Grêmio se deu ao luxo até mesmo de desperdiçar contra-ataques no mano a mano, com Souza, aos 28, e Jonas, aos 31. Com o pé no freio, os gaúchos administraram o resultado até o intervalo sem sofrerem um susto sequer.

TRANQUILO, GRÊMIO SÓ ADMINISTRA VANTAGEM

Com a partida praticamente definida, Cuca se preocupou em evitar uma goleada histórica e reforçou a defesa na volta para o segundo tempo. Cássio entrou na vaga de Paulo César, e o Flu passou a jogar com três zagueiros de ofício. A opção ao menos deixou a equipe mais bem postada defensivamente.

Sem o mesmo ímpeto ofensivo do início, o Grêmio assustou apenas aos três, em boa jogada de Jonas desperdiçada por Herrera. No lance seguinte, Marquinho, que entrou na vaga de Equi Gonzalez, quase descontou para o Flu. O meia driblou Victor, mas chutou torto.

Mais seguro em campo, o Tricolor carioca fez seu gol aos 12. Após cobrança de falta de Conca da intermediária, Kieza apareceu livre nas costas da zaga e escorou de cabeça. Nada, no entanto, que sequer permitisse a equipe de sonhar com uma reação. Logo na saída de bola, Jonas recebeu na área e tocou de peito para Herrera. O argentino tentou devolver para o companheiro, mas Cássio apareceu apavorado na jogada e marcou contra.

Com o Fluminense entregue e a vitória garantida, o Grêmio passou a se divertir, manteve a posse de bola e fechou o caixão com o artilheiro Jonas, que, aos 39, tabelou com Réver, driblou Rafael e empurrou para as redes. Foi o 13º gol do agora artilheiro isolado do Brasileirão.

Fonte: Globo Esporte, www.globoesporte.com