Grupo aliado do Fluminense volta a cobrar a demissão de técnico

Grupo aliado do Fluminense volta a cobrar a demissão de técnico

Esta é a segunda vez que o grupo se posiciona contra a permanência do treinador.

A terceira derrota consecutiva do Fluminense, desta vez por 1 a 0 para o Corinthians, no último domingo, não foi bem recebida pelo principal grupo de apoio ao presidente Peter Siemsen, o Flusócio. Os aliados do mandatário voltaram a cobrar a demissão imediata do técnico Vanderlei Luxemburgo nesta segunda-feira, através de nota em seu blog oficial.

Esta é a segunda vez que o grupo se posiciona contra a permanência do treinador no cargo nos últimos dias. Há duas semanas, o Flusócio pediu a demissão de Luxemburgo após a derrota de virada por 3 a 2 para o Vitória, no Maracanã.

A cobrança do Flusócio tem grande peso nos bastidores do Tricolor, uma vez que as eleições no clube estão marcadas para o próximo dia 23 de novembro. O grupo representa a base política que elegeu Peter Siemsen no pleito de 2010. Um atrito com o movimento, portanto, poderia gerar prejuízos irreparáveis na busca do cartola pelo segundo mandato.

No comunicado emitido nesta segunda-feira, o Flusócio cobra a demissão de Luxemburgo por ter escalado a equipe de forma "medrosa" contra o Corinthians. Na partida deste domingo, o treinador usou três zagueiros e três volantes.

Segundo o texto intitulado "Pela mudança de rumo", a derrota para o time paulista foi "castigo merecido para a covardia" demonstrada por Luxemburgo ao escalar a equipe.

A pressão sobre Vanderlei Luxemburgo tem como motivo a série de nove jogos sem vitórias do Tricolor na competição, além de três derrotas consecutivas nas últimas rodadas. O treinador, no entanto, deve permanecer no cargo, já que faltam nomes disponíveis no mercado que agradem à diretoria.

O Fluminense é agora o 18º colocado do Campeonato Brasileiro. Com a derrota para o Corinthians, o Tricolor ficou parado nos 36 pontos e foi ultrapassado por Criciúma e Vasco. Na quinta-feira, o time encara o lanterna Náutico, no Maracanã.

Fonte: UOL