Inter atropela o Flamengo no Beira-Rio com facilidade e resulta no placar de 4 a 0

Inter atropela o Flamengo no Beira-Rio com facilidade e resulta no placar de 4 a 0

Em dia de homenagem a Fernandão,o Colorado entra no G-4 e mantém o Rubro-Negro na lanterna do Brasileirão.

O Internacional prestou a melhor homenagem possível a Fernandão, ídolo morto em acidente aéreo no começo de junho, neste domingo no Beira-Rio. Com o estádio imerso em emoção pela lembrança do antigo capitão, o Colorado aplicou 4 a 0 no Flamengo com autoridade. Rafael Moura, autor do primeiro gol, reverenciou a camisa do ex-jogador. D"Alessandro, Fabrício e Alex também marcaram e o time carioca, afundado na lanterna do Brasileirão, ainda ouviu gritos de olé em Porto Alegre.

A vitória empurra o Inter para o G-4, com 19 pontos. E fecha um dia de tributos que contou com a presença da família de Fernandão no estádio, romaria pelo ídolo nas ruas de Porto Alegre e ovação da torcida na arquibancada.

O Flamengo, intruso no cenário, se afunda de vez na última posição da tabela. Com somente sete pontos conquistados, o time continua sem vencer sob comando de Ney Franco: são oito jogos com quatro derrotas e quatro empates. O técnico, aliás, passa a viver uma incerteza sobre o futuro, podendo ser demitido.

A lembrança de Fernandão estava por todos os lados e empurrou o Inter. As homenagens à família antes da bola rolar, as faixas espalhadas pela arquibancada e o grito da massa como "Uh, Fernandão!" funcionaram como um doping emocional, termo citado por Abel Braga antes do jogo. E quem pagou o preço foi o Flamengo - inofensivo durante os 90 minutos e presa fácil.

Com Aránguiz de volta, o Inter ganhou qualidade na saída de bola. Dividindo o fardo da criação que normalmente fica só com D"Alessandro. E forçou um sistema defensivo limitado e nervoso do time carioca. A escalação de Léo Moura no meio-campo não ajudou em nada o plano de Ney Franco, pelo contrário, deixou o time mais amarrado e confuso.

Diante disto, as chances não custaram muito a aparecer. Rafael Moura cabeceou para fora e Aránguiz chutou fraco antes do gol sair. Aos 15 minutos, em cobrança de falta ensaiada, D"Alessandro levantou e Juan escorou. Dentro da pequena área, entre os zagueiros perdidos do Flamengo, He-Man só desviou para a rede: 1 a 0.

Na comemoração, Rafael Moura prestou nova homenagem a Fernandão. O centroavante foi até o banco, pegou uma camisa branca usada na entrada em campo e reverenciou o número 9 ? aposentado temporariamente neste domingo.

A superioridade do Internacional era clara, mas sofreu um baque. Aránguiz recebeu uma pancada no joelho direito ? o mesmo que o incomodou na Copa do Mundo, e precisou sair. Sem o chileno, Abel Braga lançou Luque, o novo Caniggia, mas perdeu profundidade.

A permissividade do Flamengo, porém, fez o Colorado se recuperar da baixa naturalmente. Wellington, escalado para dar mais segurança ao meio-campo, lançou o xará Wellington Silva. E ele aproveitou uma furada de Mugni para entrar na área e ser derrubado por Chicão. O zagueiro recebeu vermelho direto e deu o segundo gol ao Inter, convertido por D"Alessandro de pênalti, no último lance do primeiro tempo.

Na segunda etapa a fragilidade da equipe carioca ficou mais visível. Em vantagem numérica, o Internacional cansou de entrar na área de Felipe com facilidade. Fabrício, aos 12 minutos, acertou um chute de primeira após cruzamento de D"Alessandro e fez o 3 a 0. Até Wellington Silva quase marcou, ao driblar dois e passar por Felipe. O chute, entretanto, foi salvo em cima da linha. Aos 33, quando o ritmo do jogo já era outro, Alex aparou cruzamento de Fabrício e fez o quarto. O estádio voltou a gritar olé e a cantar a música em alusão a Fernandão.

Na próxima rodada o Internacional visita o Bahia, às 18h30min, em Salvador. Já o Flamengo tem pela frente o clássico diante do Botafogo para tentar iniciar uma recuperação.







Fonte: UOL