Invicto, Brasil humilha Itália e chega à 2ª fase com tranquilidade

Invicto, Brasil humilha Itália e chega à 2ª fase com tranquilidade

O resultado deixa o Brasil com 100% de aproveitamento na primeira fase, saindo com a liderança do Grupo B

A alegria chegou novamente aos rostos das jogadoras da Seleção Brasileira. Depois de um desempenho morno contra Porto Rico e um "puxão de orelha" do técnico José Roberto Guimarães, o selecionado nacional voltou a mostrar o vôlei que dele se espera neste Mundial Feminino e massacrou a Itália, por 3 sets a 0, com parciais de 25/16, 25/19 e 25/7.

Os discursos adotados pelos dois lados antes da partida foram exatamente o que se foi mostrado em quadra. Enquanto o Brasil dizia que iria para uma guerra contra a rival, para matar ou morrer, as italianas mantinham a postura de que era um jogo como outro qualquer.

Pois bem, a equipe verde e amarela entrou literalmente "ligada na tomada", enquanto as europeias estavam sonolentas. Com mais um desempenho impressionante da ponteira Natália, somados a um bom trabalho de Thaisa e Fabiana no bloqueio, as brasileiras não se viram ameaçadas em nenhum momento na partida.

O resultado deixa o Brasil com 100% de aproveitamento na primeira fase, saindo com a liderança do Grupo B e chegando a segunda fase da competição no Japão com vida bem tranquila. Como no regulamento do torneio, a Seleção leva os resultados conquistados nesta primeira etapa para a seguinte, o time de Zé Roberto pode perder um jogo da próxima fase, desde que não seja o contra Alemanha, para avançar à semifinal. Além das alemãs, o time encara Tailândia, Cuba e Estados Unidos. O primeiro confronto será contra a Tailândia, no próximo sábado.

O jogo

Em um bloqueio de Sheilla, um ataque de Natália explorando o bloqueio italiano e outro bloqueio de Thaisa, o Brasil começou a partida sem tomar conhecimento das italianas, abrindo 3 a 0. Assim como no duelo contra Porto Rico, a levantadora Fabíola viu que a brecha para o jogo da Seleção deslanchar era mesmo jogar as bolas em Natália. Juntando-se o bom momento da ponteira a um excelente desempenho do bloqueio, a equipe verde e amarela fez 6 a 1, fazendo o técnico Massimo Barbolini parar a partida para tentar consertar os erros.

Depois da primeira parada técnica, as italianas diminuíram um pouco o prejuízo em uma largadinha de Piccinini, mas a Seleção seguia com o domínio do jogo, não deixando as europeias encostarem com boas variações de bola no meio com Fabiana e Thaisa e explorando Jaqueline e Natália nas pontas. Na segunda parada técnica, as comandadas de Zé Roberto chegaram com uma vantagem tranquila de 16 a 13.

Depois do intervalo, o time cresceu ainda mais. Sabendo anular o ataque italiano e com ataques potentes na diagonal, a Seleção abriu 20 a 14, o que irritou Barbolini, que novamente se viu obrigado a pedir tempo. Foi a vez então de Sheilla e Natália mostrarem sua habilidade em duas largadinhas que fizeram as italianas baterem a cabeça. Em um erro de ataque de Del Core, a equipe verde e amarela fechou o primeiro set em 25 a 16.

A Seleção começou a segunda parcial novamente ligada na partida. Com um bloqueio de Natália, o time já abriu 2 a 0 no placar. Com a ponteira, o Brasil ia passeando em quadra. Depois das italianas encostarem em um saque de Arrighetti, a camisa 12 voltou a ser acionada por Fabíola e a equipe manteve vantagem confortável (5 a 2). Com um saque de Fabiana, sem defesa para as rivais, o Brasil chegou a primeira parada técnica com 8 a 5.

Depois de uma conversa com o treinador, as italianas conseguiram uma pequena reação, mas em uma cravada de Thaisa, o Brasil mostrou quem mandava no jogo. As europeias sentiram o baque e começaram a ver o bloqueio brasileiro crescer, abrindo 14 a 8 no placar. Em um ataque de Sheilla, o time verde e amarelo foi para a segunda parada técnica com o placar marcando 16 a 9.

Após o intervalo, as italianas chegaram a crescer na partida, mas sem ameaçar tanto o grupo verde e amarelo. Mas este era o jogo mesmo de Natália. Quebrando totalmente qualquer chance de bloqueio ou defesa da Azurra, a camisa 12 foi a responsável por fechar o segundo set em 25 a 19.

No terceiro set, o que se viu em quadra foi um time italiano completamente abatido e um Brasil voando em quadra. Natália liderou o time verde e amarelo nos primeiros pontos e depois Sheilla brilhou, fazendo a Seleção abrir 10 a 3 no marcador.

Barbolini não sabia mais o que fazer para virar o jogo. Do lado de Zé Roberto, tudo dando certo, até a levantadora Fabíola marcava pontos de bloqueio. O placar na segunda parada técnica não condizia nem de perto com um confronto entre duas equipes do nível de Brasil e Itália: 16 a 5.

O Brasil não se acomodou com a vantagem e seguiu atropelando as rivais, que amargaram uma derrota por 25 a 7 após um ataque em que Jaqueline explorou o bloqueio. Natália terminou a partida como a maior pontuadora, com 25 tentos.

Fonte: Terra, www.terra.com.br