Japão e Coréia do Sul disputam medalhas na patinação no gelo

Japão e Coréia do Sul disputam medalhas na patinação no gelo

Disputa de ouro entre Yu-na Kim e Mao Asada, nesta quinta, é das mais esperadas em Vancouver

Terminado o programa curto das garotas da patinação artística na terça-feira (23), foi confirmado o favoritismo da sul-coreana Yu-na Kim nesse esporte da Olimpíada de Vancouver. A garota de 19 anos conseguiu fechar a noite como primeira colocada em pontos, seguida pela japonesa Mao Asada, de 18 - a única de suas conterrâneas que parece com mais poder de fogo para enfrentar a adversária. As medalhas serão definidas com aquelas notas somadas às do programa livre desta quinta-feira (25), que começa às 22h de Brasília.

As duas patinadoras vêm se alternando nos títulos internacionais nos últimos anos. Para citar apenas Mundiais mais recentes, Mao Asada foi campeã em 2008, ainda com 17 anos. Yu-na Kim ficou com o título de 2009, aos 18.

Os especialistas que acompanham de perto as duas patinadoras consideram esta medalha de ouro olímpica uma espécie de tira teima.

Brian Orser, canadense com duas pratas olímpicas, é o treinador de Yu-na, agora moradora de Toronto. Para ele, ter duas competidoras em nível tão próximo e patinando tão bem - a ponto de criar uma rivalidade ? ?só é bom para quem precisa de audiência?.

- Isso mantém as pessoas sentadas na beira das poltronas...

Yu-na Kim gosta disso, diz o técnico. A atual campeã mundial não pôde participar da Olimpíada de Turim-2006 ? mesmo já sendo um fenômeno da patinação no gelo ? porque ainda não havia atingido os 16 anos mínimos exigidos. Agora, já está pronta para medalha.

A sul-coreana mostrou isso no programa curto. Conseguiu a primeira colocação batendo um recorde mundial dela mesma (78,5 pontops). E, até mais importante que o significado dessa marca alcançada, foi a diferença que impôs sobre a rival imediata: Yu-na parte para o programa livre desta quinta-feira (25) com quase cinco pontos a mais que Mao Asada, a segunda, com 73,78.

Para o técnico Brian Orser, não é o caso de subestimar Mao Asada.

- Ela é consistente e penso que nunca irá se apresentar mal.

Mao Asada tem suas armas. O que pode valer a medalha de ouro a ela são algumas sequências de saltos e piruetas que poucas outras patinadoras conseguem fazer (como o triplo axel). A patinadora japonesa acredita que possa conseguir dez pontos com isso ? o que é um número maior que a diferença imposta a ela no programa curto pela sul-coreana Yu-na Kim.

Vale lembrar que outras patinadoras também são fortes na disputa de medalhas: a canadense Joannie Rochette e a japonesa Miki Ando. E vale ficar de olho nas também jovens norte-americanas Rachel Flatt e Mirai Nagasu.

Drama versus leveza

Yu-na Kim vai patinar com o ?Concerto em F?, de Gershwin, clássico melódico que favorece seu lado artístico e a sensação de ?flutuar? que consegue passar para o público. Não será uma questão de ?personagem? como no programa curto, quando se apresentou com trilha dos filmes de James Bond.

Para o treinador, ela tem ?estilo próprio?, ?generoso e aberto à apreciação?.

Mao Asada se apresenta com ?Sinos de Moscou?, de Rachmaninoff. É cru e forte, dizem os especialistas, para destacar as vantagens técnicas e atléticas da japonesa, que deve apresentar duas vezes o triplo axel.

O técnico Brian Orser diz que será bom as duas se apresentarem em sequência para que todos possam comparar mais facilmente os dois estilos.

- Mao Asada mostrará um programa um pouco mais sombrio, mais para o drama. Yu-na Kim é mais leve.

Fonte: R7, www.r7.com