Jogadores tentam fazer Mano desistir de demissão e ouvem: "Me respeitem"

Incrédulo, elenco faz apelo e tenta evitar pronunciamento para imprensa. Técnico alega pedidos não assimilados e trata derrota como inadmissível

Incredulidade e súplica por uma reviravolta. Esse foi o clima no vestiário do Flamengo após Mano Menezes comunicar ao elenco e comissão técnica o pedido de demissão feito aos dirigentes minutos antes. Ainda abatidos pela derrota por 4 a 2 para o Atlético-PR, os jogadores não esconderam a feição de surpresa pela informação, mas agiram rapidamente e pediram muito para que o treinador mudasse de ideia. Firme em sua decisão, Mano se mostrou irredutível e pediu apenas que o respeitassem.


Jogadores tentam fazer Mano desistir de demissão e ouvem:

Atordoados, alguns atletas tentaram demovê-lo da ideia até o último segundo. Chicão, Hernane, André Santos e Marcelo Moreno o perseguiram até a porta que dava acesso ao auditório onde seria dada entrevista coletiva. Não teve jeito. Mano Menezes seguiu firme, com a fisionomia fechada, até o microfone para revelar a todos que tinha pedido demissão. Era o ato final de uma passagem de três meses e dois dias, desde sua apresentação no Flamengo.

Aos jogadores, Mano Menezes seguiu a mesma linha do discurso dito à imprensa, mas foi mais profundo e se mostrou duplamente decepcionado: com a dificuldade do elenco a executar suas ordens e com a postura apresentada diante do Atlético-PR. Diante do grupo, as palavras seguiram a seguinte linha:

- Vocês não estão conseguindo assimilar o que peço. Já são quase quatro meses e não é feito o que peço em campo. Vou fazer uma coisa que nunca fiz, que é pedir demissão. O Flamengo não pode ficar nesta situação. É inadmissível perder um jogo desses. Estávamos ganhando por 2 a 0, mais próximos de fazer o terceiro e conseguimos perder.

Sem acreditar no que estavam ouvindo, os jogadores reagiram imediatamente e disseram que precisavam do treinador, pediram que a demissão fosse reavaliada, mas logo ouviram:

- Nada vai mudar. Respeitem minha decisão.

Assim como os jogadores, o diretor executivo Paulo Pelaipe foi outro que ficou espantado com o comunicado de Mano e apenas exclamava: ?Que isso!? Que isso?!?. Membros da comissão técnica e do staff rubro-negro também não acreditavam na informação e a checavam constantemente com jornalistas e funcionários que passavam pelos corredores do Maracanã.

Na saída do estádio, o abatimento era evidente em toda delegação do Flamengo. Alguns membros, no entanto, não escondiam a frustração e até certa irritação com a decisão de Mano. Surpresos, frustrados ou irritados, os rubro-negros terão cerca de 12 horas para assimilar a saída do treinador. Nesta sexta-feira, às 10h (de Brasília), já tem treino no Ninho do Urubu, sob o comando do interino Jayme de Almeida. A posição de momento é essa, mas até o jogo com o Náutico, domingo, em Recife, tudo pode acontecer.

Fonte: GloboEsporte