Juiz registra briga entre gândula da Ponte e médico do Vila Nova

Juiz registra briga entre gândula da Ponte e médico do Vila Nova

o gândula Aldo David retardou a reposição da bola e foi duramente criticado pelo técnico do Vila, Waldemar Lemos

A Ponte Preta pode se complicar para a sequência da Série B do Campeonato Brasileiro. A confusão entre um gândula do clube e o médico do Vila Nova no final da partida da última terça-feira, em Campinas, foi registrada na súmula pelo árbitro baiano Manoel Nunes Lopo Garrido e existe até mesmo a possibilidade, apesar de remota, do time campineiro ser punido.

No fim da partida, quando a Ponte Preta vencia por 1 a 0 e era pressionada pelo adversário, o gândula Aldo David retardou a reposição da bola e foi duramente criticado pelo técnico do Vila, Waldemar Lemos. Na sequência, Aldo, após bate e boca, acertou um tapa na cara do médico Bernardino Santi, que tentou revidar e foi impedido pela Polícia Militar.

De acordo com a Ponte Preta, todos os gândulas são de uma empresa terceirizada profissional (devidamente registrados junto à arbitragem, assim como os maqueiros, seguindo regra da CBF). Por outro lado, o médico Bernardino Santi foi contratado pelo Vila Nova para trabalhar somente no jogo da última terça-feira.

"Expulsei aos 47 minutos do segundo tempo de jogo o sr. aldo david silva lima, rg: 43.214.646-5 gandula da equipe da ponte preta, por retardar a reposição da bola para colocá-la em jogo. neste momento o técnico da equipe do vila nova sr. waldemar lemos de oliveira, se direcionou ao gandula para reclamar, momento em que o gandula proferiu: "vai se f..., vai tomar no ...". após este momento o médico da equipe do vila nova sr. bernardino santi crm 49.407 foi ao encontro do gandula e trocaram socos e pontapés. o policiamento interviu e retirou o gandula das imediações do campo de jogo. após o ocorrido o árbitro reserva sr. antonio rogério batista do prado informou ao médico que ele estava expulso, onde o mesmo deu as costas e se dirigiu ao banco de reservas para pegar seu material de trabalho, tempo este que encerrou-se a partida", dizia a súmula da partida.

Na saída do gramado, o técnico Waldemar Lemos se mostrou muito irritado com a agressão do gândula ao médico do Vila Nova e disse que Aldo David estava predisposto a criar confusão com a delegação do clube goiano.

"Não vou admitir safadeza com meu trabalho. Ele retardou o jogo e tomei a providência. Depois, ocorreu a agressão ao nosso médico. O gândula estava disposto a brigar", afirmou Waldemar Lemos.

Após repreender o gândula, a Ponte Preta vai esperar a consequência da confusão para tomar mais medidas necessárias em relação ao profissional e pode sobrar também para a empresa terceirizada. O clube afirma que achou lamentável a atitude do gândula e a repudia veementemente.

Fonte: Terra