Kaká dá dicas a Fábio Simplício de como agradar Dunga

Do atual time do Brasil, Fábio Simplício já conviveu com Júlio Batista, Luis Fabiano e Kaká.

Fábio Simplício já sabe como deve se comportar para causar boa impressão no técnico Dunga a partir de hoje, quando a seleção brasileira se reúne em Doha, no Catar. O volante/meia do Palermo recebeu conselhos e dicas de um velho amigo dos tempos do São Paulo. ?O Kaká me ligou. A gente conversou bastante e ele me deu toques legais?, disse ao Blog do Boleiro antes de encurtar a folga que teria nesta semana.

Do atual time do Brasil, Fábio Simplício já conviveu com Júlio Batista, Luis Fabiano e Kaká. Jogou com eles durante os quatro anos de profissional no tricolor paulista e mais seis na base. ?Falo sempre com eles. Mesmo o Luis Fabiano, na Espanha, está sempre em contato comigo?, disse.

Mas foi Kaká quem deu as boas vindas e os parabéns para o velho companheiro. ?Ele me cumprimentou mandando uma mensagem e depois me telefonou explicando tudo o que deve ser feito lá na seleção?, disse.

Simplício não quis dar detalhes do papo. Mas logo na primeira resposta da entrevista feita por telefone, ele deu mostra do conteúdo dos conselhos de Kaká: ?Sei do meu caráter e penso que posso colaborar e muito na seleção. Sempre fui um cara de grupo, que brinca quando é hora de brincar, mas sou sério na hora de trabalhar.?

Mais ainda. Fábio Simplício, aos 30 anos, vai para os amistosos contra a Inglaterra (dia 14, em Doha) e Omã (dia 17, em Muscat) com disposição de juvenil. ?Minha intenção é ficar na seleção. A partir do momento em que recebi a notícia da convocação, passei a pensar que esta oportunidade é para ficar e conquistar meu espaço?, afirmou.

Esse discurso determinado saiu dois dias depois da convocação. Mas na hora em que descobriu que tinha sido descoberto, o número 30 do Palermo tremeu de emoção. Afinal, foi sua primeira convocação na vida.

O administrador da seleção, Américo Farias, ligou para Fábio Simplício. Disse que Dunga queria convocá-lo para o lugar de Ramirez (do Benfica, que está contundido) e gostaria de saber se ele teria a liberação do Palermo.

Antes de consultar os dirigentes italianos e retornar a ligação para Farias, Fábio Simplício quis contar a novidade para a mulher Elaine.

?Eu não esperava ser chamado. Nunca tinha sido convocado. Quando fui contar para a Elaine, comecei a chorar e não falava direito. Ela ficava perguntando o que tinha acontecido e eu não conseguia explicar?, lembrou rindo.

O cara é um moço muito ligado à turma lá de casa. Na bagagem para Doha, ele levou uma moldura com o retrato da esposa e dos dois filhos.

A família de Simplício, em Itapecerica da Serra (município da Grande São Paulo) comemorou com um jantar num restaurante no centro da cidade. ?Foi todo mundo para lá. Os amigos passavam para dar parabéns, me telefonaram, foi muito bacana?, conta.

Na terça-feira, já confirmado na seleção brasileira, o volante comprou os jornais italianos que noticiaram sua convocação. Eles serão guardados até a próxima viagem para o Brasil. A prima de Simplício, Marlene, vai anexá-los aos álbuns que ela monta desde que o primo começou a carreira de jogador.

A memória de Fábio está toda nos arquivos da Marlene. E será mostrada para os filhos Luana (5 anos) e Jordan (três meses de vida). ?Vai ser legal eles acompanharem o que fiz. Não só os filhos, mas os netos também?, disse Simplício.

E ele tem um currículo de respeito. Jogou no São Paulo de 2000 a 2004. Foi campeão paulista duas vezes e ganhou um Torneio Rio-São Paulo. Foi contratado pelo Parma e disputou duas temporadas antes de se transferir para o Palermo em 2006.

Na Itália, ele atuou a maior parte do tempo como segundo volante e meia. Em três temporadas consecutivas, ele foi o terceiro artilheiro de sua equipe. Na última, 2008/2009, marcou oito gols, ficando atrás apenas dos atacantes Fabrizio Miccoli e Edison Cavani.

?Eu gosto de ir à frente e fazer gols. Comecei na base do São Paulo como atacante. Depois, vim para o meio porque poderia ser um volante com toque de bola de qualidade?, lembra Simplício que, na atual temporada voltou a ser segundo volante mais preso. A ordem partiu do técnico Walter Zenga, ex-goleiro da seleção italiana.

A convocação de Fábio Simplício no lugar de Ramirez mostra como Dunga e comissão técnica trabalham. Eles vão testar um atleta que tem o estilo parecido de quem está saindo. Menos veloz, mas que tem marcado mais gols.

No fundo, Fábio Simplício sabe que tem poucas chances de chegar ao Mundial da África do Sul, no ano que vem. Mas lembra de um exemplo que deu certo e pode se repetir com ele: ?Lembro muito do Kléberson na Copa de 2002. Ele quase não ia e depois todo mundo achava que ele seria reserva. Acabou como titular e jogou muito?, disse.

Fonte: Terra, www.terra.com.br