Kleberson se cala à espera do futuro e clube não o procura

Kleberson se cala à espera do futuro e clube não o procura

Aos 32 anos, com duas Copas no currículo, campeão mundial em 2002

Em 2002, no Japão, Kleberson atingia o topo do mundo ao conquistar a Copa. Com a camisa da Seleção Brasileira, ele começava a escrever uma história vitoriosa, que seria marcada ainda pelos títulos da Copa América (2004) e da Copa das Confederações (2009). Ao chegar ao Flamengo, em 2007, o jogador já atendia pelo apelido de ?Penta?. Mas os anos passaram, e no início da atual temporada o técnico Vanderlei Luxemburgo abriu mão do volante, que foi parar no Atlético-PR. Na linha do tempo, agora, ele parece perdido. E prefere se calar. É o voto de silêncio do jogador que um dia já gritou ?é penta!?.

Procurado, Kleberson preferiu não conceder entrevista. Exemplo de bom profissional, com títulos e sem indisciplinas no currículo, o jogador alega que ?não quer falar até definir o seu futuro?. Até agora, ninguém da diretoria do Flamengo o procurou. Caso nada aconteça, ele cumprirá seu compromisso de se reapresentar junto com o elenco no dia 3 de janeiro. Com altas cifras no salário, ele tem contrato com o Rubro-Negro até dezembro de 2012.

Kleberson começou a carreira no PSTC, clube de Londrina (PR), e logo foi para as categorias de base do Atlético-PR, onde conquistou títulos estaduais em 2000, 2001 e 2002, além do Campeonato Brasileiro de 2001. Versátil, atuava em diversas posições.

O técnico Luiz Felipe Scolari escreveu o nome de Kleberson na lista para a Copa do Mundo de 2002. O jogador começou na reserva, ganhou espaço, virou titular, fez a jogada do segundo gol brasileiro nas oitavas de final diante da Bélgica e teve boa atuação na grande decisão diante da Alemanha, na vitória brasileira por 2 a 0. Em 2010, mesmo longe da sua melhor fase, voltou a disputar o Mundial da África do Sul ao ser convocado por Dunga.

Depois das boas atuações em 2002, Kleberson defendeu o poderoso Manchester United, da Inglaterra, de 2003 a 2005, quando se transferiu para o Besiktas, da Turquia. Teve passagem discreta pelo time turco até 2007, ano em que acertou com o Flamengo. Por conta de uma quebra unilateral de contrato por parte do jogador, a Fifa só o liberou para atuar pelo Rubro-Negro a partir de 2008.

Pelo clube da Gávea, Kleberson conquistou a Taça Guanabara e Campeonato Carioca, em 2008, Taça Rio e novamente o Carioca em 2009, além do hexacampeonato no mesmo ano. Disputou um total de 125 jogos, entre a condição de titular e reserva, e marcou 18 gols, com apenas um cartão vermelho.

Jogador agora sofre com o ombro esquerdo

No início de 2011, Vanderlei Luxemburgo abriu mão do jogador, que passou a treinar em separado, na Gávea. Com a transferência de Kleberson para o Atlético-PR, o Flamengo pagou apenas parte de seus salários durante a atual temporada. No Furacão, o jogador não conseguiu uma sequência de partidas, teve problemas de lesão e não conseguiu impedir o rebaixamento do time para a Série B do Campeonato Brasileiro.

No fim de outubro, Kleberson sofreu luxação no ombro esquerdo (em 2009, ainda pelo Flamengo, havia operado o direito). Hoje, ele segue em recuperação, e deve estar apto para voltar a jogar no fim de janeiro. Propostas concretas ainda não apareceram na mesa de negociações do Flamengo. Com isso, o clube teria de arcar com um salário que ultrapassa a barreira dos R$ 200 mil.

Avesso à polêmica e sempre sereno, Kleberson aguarda uma definição para se pronunciar. Chateado está, é claro, mas espera ao menos uma consideração. Ele se cala. E não chia em busca de reconhecimento. O apelido de Kleberson é ?penta?. O nome verdadeiro é José Kleberson. E fica a pergunta: ? E agora, José??

Fonte: Globo Esporte, www.globoesporte.com