Léo Moura pede segundo turno "bem melhor" e conta com volta ao Maraca

Lateral diz que o Fla precisa fazer valer o mando de campo e embalar no Brasileirão. Mesmo "em casa", equipe não venceu nenhum membro do Z-4

Ainda falta uma partida para fechar a conta, mas Léo Moura já fez uma avaliação da participação do Flamengo no primeiro turno do Brasileirão: abaixo do esperado. Com 22 pontos, o time venceu cinco, empatou sete e perdeu seis dos 18 pontos disputados até o momento.

Com aproveitamento de 40,7%, o Rubro-Negro ocupa a modesta e perigosa 15ª colocação na tabela. Mesmo que vença o líder Cruzeiro, neste domingo, no Mineirão, e todos os resultados restantes da rodada sejam favoráveis, a melhor colocação possível é um nono lugar. Pouco, na opinião do capitão.

- (A campanha) tem que ser bem melhor do que foi no primeiro turno. Os pontos deixados contra equipes consideradas pequenas, que estão na parte de baixo da tabela, estão atrapalhando muito.

No panorama atual, a maior preocupação do Fla é afastar-se da zona de rebaixamento (está três pontos acima no momento). O G-4 a cada rodada é um objetivo mais distante. Se em determinado momento, apenas uma vitória afastava o time de Mano Menezes do grupo dos classificados para Libertadores, a distância do Grêmio, quarto colocado, agora é de nove pontos.

Os números confirmam a análise de Léo Moura. O Flamengo não venceu nenhum dos últimos quatro colocados no Brasileirão: Portuguesa, São Paulo, Ponte Preta e Náutico. As duas derrotas e dois empates fizeram com que a equipe perdesse 10 pontos que seriam capazes de colocá-la na quarta posição.

O Maracanã sempre fez muita diferença. Tivemos alguns jogos de sucesso em Brasília, mas jogar no Rio, com a torcida perto, é importante. Em casa, é fundamental vencer, além de buscar pontos fora"

Na opinião do camisa 2, o afastamento do Rio de Janeiro foi determinante para queda de rendimento. Todos os quatro tropeços para os atuais membros do Z-4 foram em partidas de mando rubro-negro, mas nenhuma disputada no Maracanã. As derrotas para os dois últimos colocados Ponte Preta e Náutico aconteceram em Juiz de Fora e Florianópolis, respectivamente, enquanto os empates com Portuguesa e São Paulo foram em Brasília.

- O Maracanã sempre fez muita diferença. Tivemos alguns jogos de sucesso em Brasília, mas jogar no Rio, com a torcida perto, é importante. Em casa, é fundamental vencer, além de buscar pontos fora - admitiu Léo Moura.

Os altos e baixos ao longo da competição também têm sido marcantes. Como se não bastassem os muitos empates, o Flamengo ainda não venceu duas partidas consecutivas, o que dificulta um afastamento da parte de baixo da tabela.

Jogos contra times do Z-4

Flamengo 0 x 2 Ponte Preta

Flamengo 0 x 1 Náutico

Flamengo 1 x 1 Portuguesa

Flamengo 0 x 0 São Paulo

- Precisamos ter uma sequência, embalar. No Brasileirão, duas vitórias consecutivas já te colocam um pouco acima. Três, então, é excelente. Sei que o campeonato é difícil, mas vale a concentração, repetir a fórmula quando dá certo. Está faltando acreditar mais na gente, achar que dá para vencer fora de casa também. Temos que acreditar que dá para vencer.

No segundo turno, o Flamengo terá dez partidas como mandante, e a tendência é que a maioria aconteça no Maracanã, onde conquistou sete dos nove pontos disputados até então. Neste domingo, porém, o compromisso é longe do Rio de Janeiro e nada simples: contra o líder Cruzeiro, às 16h (de Brasília), no Mineirão, pela 19ª rodada.

Fonte: G1