Loco Abreu sai irritado, ouve sermão de Joel e deve ser punido

O centroavante deixou o gramado durante a segunda etapa para a entrada do meia Renato Cajá.

Ídolo dos torcedores do Botafogo e um dos protagonistas do título do Campeonato Carioca, conquistado no primeiro semestre, o uruguaio Loco Abreu vive uma má fase em General Severiano. Antes intocável, o jogador tornou-se reserva no time de Joel Santana, mas acabou sendo beneficiado pela lesão de Jobson e escalado para o compromisso da noite desta quarta-feira. No entanto, a má atuação obrigou o comandante a tirá-lo de campo, o que não agradou ao camisa 13.

O centroavante deixou o gramado durante a segunda etapa para a entrada do meia Renato Cajá. O uruguaio, que esteve presente na campanha da sua seleção na Copa do Mundo da África do Sul, reprovou a opção de Joel Santana e não procurou sequer disfarçar o repúdio contra a substituição promovida pelo treinador.

Joel também não gostou da queixa do atacante e os dois discutiram asperamente. No fim da partida, com o ânimos mais calmos, o uruguaio tentou minimizar o problema, alegando que o mais importante era a vitória. No entanto, seu ato não deve escapar de punição da diretoria alvinegra.

"O Botafogo vai tomar as atitudes cabíveis, mas não tenho dúvidas de que ele será punido. É o Joel quem manda e ninguém está acima do Botafogo", disse o gerente de futebol Anderson Barros.

Apesar do resultado positivo, todos ficaram visivelmente chateados com o incidente, principalmente o presidente Mauricio Assumpção e o vice de futebol, André Silva.

Após a partida, o técnico voltou a mostrar irritação com a discussão com Loco Abreu. "Se eu não tiver autoridade para comandar 30 jogadores, não é para estar aqui. Por isso meu nome é Joel Santana. Sou um vencedor, um dos maiores do Rio. Para mim, isso já está resolvido - esbravejou.

No entanto, após a saída do atacante, o Botafogo melhorou em campo. Renato Cajá destacou-se e distribuiu a assistência para Maicosuel concretizar a vitória botafoguense no Estádio Eduardo José Farah. A boa atuação de Cajá acabou sendo enaltecida pelo autor do gol do triunfo.

"Sabíamos que seria difícil, em um detalhe, após grande passe do Renato Cajá, ganhamos o jogo. Esses três pontos foram importantes demais", discursou Maicosuel, ainda no gramado.

Depois do término do confronto, Loco Abreu recusou conversar com os jornalistas e deixou o campo rumo aos vestiários em silêncio. De ídolo no primeiro semestre, o uruguaio virou opção contestada pelo treinador, que justificou a decisão por a bola "apenas bater e voltar durante a primeira etapa."

"Estávamos marcando muito pouco no campo ofensivo. Se você não marca, precisa pelo menos fechar o setor e isso não estava acontecendo. A bola batia e voltava. Por isso mudamos, e colocamos um jogador de precisão no passe para melhorar", analisou Joel Santana.

Fonte: Terra