Longe de Marcelo, Corinthians foge de polêmica sobre agente

Longe de Marcelo, Corinthians foge de polêmica sobre agente

Questionado sobre a possível influência desse fator em sua contratação, Anderson Martins preferiu focar no aspecto técnico

A presentado como reforço do Corinthians nesta sexta-feira, o zagueiro Anderson Martins é mais um dos jogadores que têm a carreira administrada pelo empresário Carlos Leite, o mesmo do técnico Mano Menezes. Além do jogador emprestado pelo Al-Jaish, do Qatar, o clube paulista conta com Cássio, Gil, Fagner e Romarinho elenco. Questionado sobre a possível influência desse fator em sua contratação, Anderson Martins preferiu focar no aspecto técnico para mostrar serviço à torcida o quanto antes.

"O Corinthians está muito acima de tudo isso. Sabemos o que representa no Brasil e no mundo. O que vai determinar meu desempenho é no campo. Não há pressão nenhuma por isso, mas sim pela cobrança aqui ser sempre maior. Você precisa estar preparado e cada jogo é como se fosse uma final. Tenho consciência disso. espero corresponder da melhor maneira possível e as coisas extracampo fazem parte do futebol", afirmou a nova opção de Mano Menezes para o setor defensivo.

Quase no fim da entrevista coletiva de apresentação do zagueiro, o diretor de futebol Ronaldo Ximenes, que acompanhava toda a conversa com a imprensa, interferiu para dizer que é "maldade" imaginar que Carlos Leite influencie na formação do elenco corintiano. Firme, o dirigente ainda disse que o zagueiro pode se tornar um jogador "incontestável", assim como Gil, Cássio e Romarinho.

"Tem muita gente que acaba fazendo essa maldade de vincular o agente do técnico, e o jogador ser também agenciado por aquele representante. Mas a cobrança, os direitos e obrigações são iguais. Em relação ao Carlos Leite, jogadores representados por ele aqui são Cássio, Gil, Romarinho, os incontestáveis. Não vejo, embora muita gente fale, essa coisa de que só joga porque é jogador Carlos Leite", opinou o dirigente.

Marcelo mais distante

O sonho corintiano de reforçar o elenco com o atacante Marcelo parece próximo de naufragar. O Atlético-PR não aliviou na pedida de 5 milhões de euros (R$ 15 milhões) por 50% dos direitos, e o time paulista não conta com o lucro da venda de Guilherme para a Udinese, da Itália - a transferência não foi fechada por conta de detalhes de contrato com o clube europeu.

O Corinthians venderá seus 30% do volante de 23 anos por pouco mais de 1 milhão de euros (R$ 3 milhões), e o dinheiro não é suficiente nem para quitar a entrada do atacante, que custaria o dobro disso.

A negociação está parada e, apesar da insistência corintiana revelada pelo diretor de futebol Ronaldo Ximenes, deve se encerrar por causa do pouco tempo até a retomada do Campeonato Brasileiro.

Fonte: Terra