Love comemora  o fim da "maldição" da 9

Love comemora o fim da "maldição" da 9

Vagner Love tem uma média de 1,33 gol por jogo em sua curta história com a camisa do Flamengo

Artilheiro do Campeonato Carioca, com oito gols, Vagner Love prova a cada dia ter encontrado no Flamengo um lar. Depois da má fase vivida no Palmeiras, o jogador desembarcou no Rio em busca da felicidade seguindo os passos de Adriano. O casamento com o parceiro de ataque, de tanto sucesso, rendeu até apelido: "Império do Amor". Os dois juntos têm 14 gols na temporada.

A importância da dupla de ataque para o time é tão grande que, no único jogo em que pelo menos um deles não marcou, o Flamengo saiu de campo derrotado pelo Botafogo e eliminado na semifinal da Taça Guanabara. Com isso, Vagner Love tem motivos de sobra para jogar suas fichas no "Império do Amor" e fazer uma jogada audaciosa. "Vou fazer uma aposta com o Adriano. Vamos ser campeões e artilheiros empatados do Carioca", afirmou Love, sem tratar o fato como provocação aos adversários. "Não quero mandar recado. Nunca fui de provocar ninguém. Futebol é dentro das quatro linhas. Tem de falar o menos possível. Quero fazer o máximo de gols. Se eu fizer em todos os jogos, vou ficar feliz da vida. Por enquanto, estou com a média boa. Tem de fazer as coisas acontecerem".

Vagner Love tem uma média de 1,33 gol por jogo em sua curta história com a camisa do Flamengo no Campeonato Carioca. Contando o jogo contra a Universidad Católica, ela cai para 1,14. Adriano alcançou a marca de seis gols em seis jogos no ano, um deles na estreia do time na Copa Libertadores.

"Estou vivendo um bom momento e estou aproveitando isso da melhor maneira possível. Quem chega ao Flamengo é acolhido muito bem, na primeira semana já fica entrosado com as brincadeiras, se diverte muito e ganha confiança", afirmou Love, que contra o Madureira, nesta quarta, no Maracanã, deve ter Vinícius Pacheco como parceiro de ataque na ausência de Adriano.

Ficou para trás também a maldição da camisa 9. O atacante lembrou quando foi questionado sobre o fato em sua apresentação. "Disseram que havia maldição, fantasma, mas isso nunca me assustou. Vou seguir treinando para marcar os gols e acabar com essa história", disse.

Fonte: Terra, www.terra.com.br