Lúcio fala sobre afastamento no São Paulo: "Me sentia muito humilhado"

O jogador de 35 anos não atua pelo clube tricolor desde julho deste ano.

O zagueiro Lúcio falou pela primeira vez sobre o seu afastamento do São Paulo. Titular da seleção brasileira na última Copa do Mundo, o jogador de 35 anos não atua pelo clube tricolor desde julho deste ano.



"Me sentia, claro, humilhado. Pensava: meu Deus, o que fiz de tão errado para merecer isso?", disse em entrevista para a TV Globo.

O afastamento de Lúcio foi uma solicitação do ex-técnico do São Paulo, Paulo Autuori, no fim de julho. O treinador reprovou algumas atitudes do atleta no dia a dia no CT da Barra Funda e viu como negativa a influência que ele exercia sobre jogadores mais jovens. A diretoria, então, acatou o pedido de Autuori e Lúcio passou a treinar em separado.

Satisfeito com a vida em São Paulo, Lúcio não quer deixar a cidade em 2014, e por isso pode acabar no Palmeiras. O contato entre o zagueiro e o clube alviverde, revelado por João Paulo de Jesus Lopes, pode ser a última cartada dele antes de buscar o mercado exterior.

"O São Paulo não foi procurado pelo Palmeiras, mas recebeu uma consulta do representante do jogador", disse o vice de futebol do São Paulo, repetindo informação que já havia dado à rádio Globo pouco antes.

A revelação mostra o interesse de Lúcio na negociação, não confirmada pelas partes até então. Quando chegou ao São Paulo no início do ano, o zagueiro teve dificuldade para adaptar sua família ao país.

Depois de longos anos na Alemanha e na Itália, os filhos do jogador sofreram até encontrar escolas que se adaptassem ao modelo de ensino europeu. Hoje, Lúcio está satisfeito com a rotina da família na cidade, e gostaria de permanecer na próxima temporada.

Ficar no próprio São Paulo, porém, é difícil. Em outubro, Lúcio pediu a rescisão de seu contrato à diretoria tricolor - não foi atendido imediatamente, mas pôde deixar de frequentar o CT.

Lúcio recebe R$ 480 mil por mês, sendo que parte de seus vencimentos são pagos pela Visa, parceira do São Paulo na contratação. Para ir ao Palmeiras, o zagueiro, elogiado por Gilson Kleina, teria de passar por uma revisão salarial.

Fonte: UOL