Luís Fabiano erra pênalti e São Paulo empata com Cruzeiro

Luís Fabiano erra pênalti e São Paulo empata com Cruzeiro

Apesar da grande partida, as duas equipes prolongam jejuns de vitórias com o resultado.

Em jogo emocionante, marcado por reviravoltas no placar e um pênalti perdido por Luís Fabiano na primeira etapa, Cruzeiro e São Paulo empataram por 3 a 3 no Estádio Arena do Jacaré, em Sete Lagoas (MG), na abertura da 28ª rodada do Brasileiro, nesta quarta-feira.

Apesar da grande partida, as duas equipes prolongam jejuns de vitórias com o resultado. O Cruzeiro chega a nove partidas sem vencer e somou apenas três pontos, em 27 possíveis até aqui, no segundo turno do torneio. Já o São Paulo, melhor mandante da competição, completa a quarta partida sem vitórias.

Com 30 pontos, na 16ª colocação, os mineiros apenas não correm o risco de terminar a rodada na zona do rebaixamento por terem mais vitórias do que o Atlético-PR. Já os paulistas terminam a noite em 3º, com 47 pontos, mas podem ser ultrapassados pelo Botafogo, que recebe o Bahia no Engenhão, e pelo Fluminense, que faz clássico carioca com o Flamengo no fim de semana.

Mesmo contando com o retorno de Wellington Paulista, recuperado de lesão na coxa direita, o técnico Vagner Mancini escalou Keirrison ao lado de Farías no ataque e foi premiado: aos 11min, o ex-santista marcou o seu primeiro gol no Brasileiro aproveitando cruzamento de Montillo.

Em uma primeira etapa bastante movimentada, o São Paulo, escalado com Rivaldo no time titular, criou boas chances de empatar, mas, na melhor oportunidade, Fábio defendeu cobrança de pênalti de Luís Fabiano.

Na segunda etapa, porém, o Cruzeiro não conseguiu administrar a vantagem e viu o time visitante virar: aos 15min, Cícero aproveitou bom passe de Luís Fabiano para empatar. Aos 20min, Dagoberto, em bela jogada individual, colocou os paulistas em vantagem.

O jogo era emocionante e, aos 25min, Charles aproveitou confusão na zaga são-paulina fez o segundo dos mineiros. Juan ainda colocou o time tricolor novamente na frente, aos 31min, mas Anselmo Rodrigues fez o gol que selou a igualdade no marcador, aos 34min. Antes do fim, Denilson, do São Paulo, foi expulso.

Na próxima rodada, o São Paulo recebe o Inter, no Morumbi, às 16h (de Brasília) do feriado do dia 12 de outubro. Na mesma data, às 21h50, o Cruzeiro mede forças com o Bahia, em Salvador.

O jogo

Primeiro tempo

Desfalcado de Lucas e Wellington, suspensos, e de Ivan piris, na seleção paraguaia, o São Paulo buscava confirmar o posto de visitante com melhor aproveitamento na competição e se recuperar após derrota no Morumbi contra o Flamengo, na estreia de Luís Fabiano. Muito criticado por não escalar o atacante ao lado de Rivaldo, Adilson Batista atendeu aos apelos da torcida e começou com os dois no time titular nesta quarta-feira.

Em situação mais dramática, o Cruzeiro, que durante a semana elegeu o novo presidente Gilvan Tavares (da chapa de Zezé Perrella), precisava vencer para não correr o risco de terminar a rodada na zona do rebaixamento. Vagner Mancini contou com a volta do centroavante Wellington Paulista, mas preferiu formar dupla de frente com Keirrison e Farías.

Explorando o nervosismo do adversário, o São Paulo criou a primeira boa oportunidade da partida, em chute de Jean, que, aos 8min, tabelou com Luís Fabiano e apareceu livre para finalizar próximo à trave esquerda de Fábio. O time paulista partia para cima e buscava um jogo franco, à exemplo do que outras equipes fizeram recentemente de maneira bem-sucedida em Sete Lagoas (como Vasco e Fluminense).

Apesar do momento de crise, a torcida cruzeirense compareceu em bom número e incentivava o time no início. Cientes de que o apoio poderia se transformar em pressão no caso de um mau desempenho, os jogadores do time celeste, que, nas últimas semanas enfrentaram protestos no Centro de Treinamento, não esconderam o alívio quando Keirrison abriu o placar, aos 11min.

O atacante marcou seu primeiro gol no Brasileiro aproveitando cruzamento de Montillo e se antecipando ao zagueiro Rhodolfo. Com um toque sutil, ele tirou a bola de Rogério Ceni e colocou os mineiros em vantagem.

Sem se abater, o São Paulo encontrava espaços abertos na defesa adversária e seguiu ofensivo. Aos 20min, novamente após trocar passes com Luís Fabiano, o lateral improvisado Jean acertou a trave, em um belo chute. O Cruzeiro respondeu no minuto seguinte, com Farías, que recebeu bela assistência de Marquinhos Paraná e mandou a bola por cima do travessão de Rogério Ceni.

Prestativo, Luís Fabiano tentava mostrar serviço no ataque são-paulino, mas errava passes na mesma proporção em que acertava. Ansioso pelo primeiro gol, o camisa 9 pediu para cobrar pênalti duvidoso sofrido por Cícero, que, em uma bela puxada de contra-ataque, chegou a driblar Fábio, mas caiu no chão após passar pelo goleiro. Os cruzeirenses reclamaram de simulação.

Na cobrança, aos 30min, o atacante bateu rasteiro no canto esquerdo, em um chute colocado, mas sem muita força. Fábio foi buscar e manteve a vantagem mineira no marcador.

Muito movimentado, o primeiro tempo ainda reservou mais uma boa chance para cada equipe. Pelo lado cruzeirense, Evertou acertou bom chute da meia esquerda e obrigou Rogério a fazer boa defesa, aos 37min. Já aos 42min, o mesmo Everton salvou em cima da linha uma finalização de Dagoberto, que apareceu bem posicionado após troca de passes de calcanhar no ataque do São Paulo.

Segundo tempo

As duas equipes voltaram ao gramado com a mesma formação do primeiro tempo. Logo aos 2min, Fábio apareceu bem para defender, em dois tempos, uma cobrança de falta perigosa de Cícero.

O São Paulo se lançava ao ataque nos minutos iniciais e o Cruzeiro tentava administrar a pressão, tentando responder nos contra-ataques. No primeiro deles, aos 9min, Vitor cruzou à meia altura na pequena área e Farias, sozinho, furou a cabeçada.

Keirrison, autor do gol cruzeirense, que chegou a cair no gramado no primeiro tempo reclamando de uma torção no tornozelo, não resistiu e teve que deixar o campo aos 11min da segunda etapa, cedendo lugar para Wellington Paulista.

Mantendo um ritmo melhor desde a volta do intervalo, o São Paulo chegou ao primeiro gol aos 15min, com os dois protagonistas do pênalti perdido: Luís Fabiano fez a função de pivô e tocou para Cícero, que empatou.

Na sequência, aos 18min, Dagoberto bateu falta na área e João Filipe dominou, em posição legal. O zagueiro rolou para Luis Fabiano marcar, mas o assistente marcou impedimento.

Apático na segunda etapa, o Cruzeiro sofreu a virada com facilidade. Aos 19min, Dagoberto fez fila na defesa mineira, passou por três marcadores e tocou na saída de Fábio.

Mas a partida era emocionante, e, cinco minutos depois, Charles aproveitou tumulto na área são-paulina, com um corte ruim de Rogério Ceni e tropeção de Luís Fabiano, para empatar.

O São Paulo ainda teve a vitória na mão mais uma vez, em outro grande lance de Dagoberto, que, aos 31min, fez excelente virada na cabeça de Juan, que testou firme no canto de Fábio.

Aos 34min, em um vacilo da zaga, o time tricolor cedeu mais um empate. Após batida de escanteio, Charles desviou na primeira trave e Anselmo Ramon cabeceou, livre, para o fundo das redes.

Ainda antes do fim do jogo, Denilson, que tem marcado sua atual passagem no Morumbi pelo excesso de expulsões, recebeu cartão vermelho por falta dura em Élber. Os dois times correram muito e tentaram a vitória até o fim, mas o grande jogo terminou empatado em Sete Lagoas.

Ficha técnica

CRUZEIRO 3 X 3 SÃO PAULO

Gols

CRUZEIRO:

Keirrison, aos 12min do primeiro tempo; Charles aos 26min e Anselmo Ramon aos 34min do segundo tempo

SÃO PAULO:

Cícero, aos 14min, Dagoberto aos 19min e Juan aos 31min do segundo tempo

CRUZEIRO: Fábio, Vítor, Léo, Victorino e Everton; Charles, Marquinhos Paraná, Montillo e Roger (Élber); Keirrison (Wellington Paulista) e Farías (Anselmo Ramon)

Técnico: Vágner Mancini

SÃO PAULO: Rogério Ceni; Jean (Casemiro), João Filipe, Rhodolfo e Juan; Denílson, Carlinhos Paraíba, Rivaldo e Cícero; Dagoberto (Marlos) e Luis Fabiano

Técnico: Adilson Batista

Cartões amarelos

CRUZEIRO: Fábio, Charles e Anselmo Ramon

SÃO PAULO: Dagoberto, Denílson e João Filipe

Cartão vermelho

SÃO PAULO: Denílson

Árbitro

Paulo Henrique Godoy Bezerra (SC)

Renda/Público

9.944 pagantes/ R$ 108.375,00

Local

Estádio Arena do Jacaré, em Sete Lagoas (MG)

Fonte: Terra