Após volta, Anderson Silva é o lutador mais bem pago da história do UFC

A novidade é que Anderson Silva não ganhou apenas sua bolsa, mas, de acordo com o seu novo contrato

O ex-campeão dos médios do UFC Anderson Silva voltou ao evento com vitória e, de quebra, encheu o bolso. Não que sua bolsa tenha sido valorizada em relação aos últimos combates, na derrota por nocaute e por lesão nas duas lutas contra Chris Weidman. A bolsa do brasileiro se manteve a mesma, mas o fato de ele triunfar contra Nick Diaz gerou um bônus e o fez bater seu recorde de faturamento e ainda passar a liderar a lista de geral do Ultimate.

Anderson Silva já é o detentor da bolsa que representa o teto do UFC. Ninguém tem um valor garantido só de aparecer para lutar maior que o do brasileiro: US$ 600 mil. Jon Jones, campeão dos meio-pesados, ganhou US$ 550 mil para enfrentar Daniel Cormier no começo de janeiro, e ganhou mais US$ 50 mil de bônus como "luta da noite".

A novidade é que Anderson Silva não ganhou apenas sua bolsa, mas, de acordo com o seu novo contrato, também faturou um bônus de US$ 200 mil pelo fato de ter vencido seu duelo com Diaz. Com o total de US$ 800 mil, o UFC desembolsou seu maior valor a um lutador, por um único combate. O valor equivale a R$ 2,1 milhões.

Para completar, agora Anderson Silva ultrapassou de uma vez três rivais para se tornar o lutador mais bem pago da história do UFC, contabilizando todas as suas lutas feitas dentro da organização. Agora, são US$ 5,097 milhões, o equivalente a R$ 13,84 milhões. Os números são do MMA Manifesto.

Curiosamente, o líder anterior era Michael Bisping, também um peso médio, mas que nunca lutou com Anderson e nem mesmo pelo cinturão da categoria. Maior estrela inglesa do Ultimate, o segredo de seu alto faturamento é a cláusula que lhe dá US$ 150 mil a mais em caso de vitória, algo que não é comum a outros lutadores. Isso o levou a totalizar, até hoje, US$ 4,81 milhões.

Georges St-Pierre aparece agora em terceiro, com US$ 4,457 milhões, e o ex-campeão dos meio-pesados e já aposentado Chuck Liddell, que também figurava à frente do Spider, somou US$ 4,380 milhões na carreira.

 Anderson Silva já pode mirar uma nova arrecadação recorde. O UFC estuda uma superluta com Georges St-Pierre, apesar do canadense estar afastado do octógono, e este combate seria o mais rico da história da organização.

Nick Diaz também foi muito bem pago para lutar o UFC 183. Ele faturou US$ 500 mil, o que é muito próximo do que ele tinha como total por suas participações no UFC, com US$ 768.500.

Vale ressaltar que os valores citados acima só dizem respeito ao valor da bolsa e bônus pagos pelo UFC. Não são levados em conta participação na venda de pay per views e todos os ganhos com patrocinadores, que geram uma renda ainda maior a lutadores, principalmente no caso de astros como Anderson Silva.

Clique aqui e curta o Portal Meio Norte no Facebook

Fonte: Uol