Campeã olímpica Sarah Menezes perde para novata e está fora da competição

Campeã olímpica Sarah Menezes perde para novata e está fora da competição

Campeã olímpica Sarah Menezes perde para novata e está fora da competição

O discurso era de confiança. Não só de Sarah Menezes como da comissão técnica. Depois de ficar por três vezes com a medalha de bronze nos últimos três Mundiais, a campeã olímpica tentava o ouro em Chelyabinsk para entrar para a história como a única judoca brasileira a ter os dois títulos. No entanto, o desfecho não foi como esperado nesta segunda-feira. Para surpresa de todos, a piauiense foi eliminada logo na estreia por Amandine Buchard, revelação francesa de apenas 19 anos, na categoria até 48kg. 

- Pela maneira como eu perdi, não estou tão abalada. Procurei dar meu máximo, em nenhum momento eu errei. Depois do ponto, todo tempo eu fui para cima. Tentei buscar a luta, mas o tempo foi passando, muito rápido, e não deu - lamentou Sarah, que mostrou maturidade com a derrota inesperada.

Foi o terceiro encontro entre as duas. No ano passado, Sarah ganhou da francesa. Mas perdeu para a rival no início deste ano no Grand Slam de Paris. No tira-teima, Buchard aproveitou a chance que teve no início do combate e jogou a brasileira. O árbitro demorou, mas assinalou um yuko, colocando a francesa em vantagem. Sarah tentou correr atrás do prejuízo, partiu para cima para buscar a virada, mas a francesa se defendeu bem e controlou as ações. Os segundos foram passando, e a campeã olímpica não conseguiu pontuar, apesar de a rival ter levado duas punições. O sonho tinha acabado. Dessa vez, nem o bronze. 

Após a luta, a número 2 do mundo dos ligeiros questionou a pontuação que levou logo no início. Para ela, a marcação foi equivocada.

- Estou na dúvida ainda do ponto. Existe uma regra que quando o atleta está com os dois joelhos no chão não é ponto. Foi meio confuso isso. Saí perdendo e procurei reverter o quadro, mas não consegui. Ela ainda tomou duas punições, mas não deu certo. Acontece. Corri atrás, mas com essa nova regra de tomar punição e não pontuar você tem que tentar derrubar. A diferença fica nas faltas. E acabei perdendo. Agora é continuar treinando e pensar em 2016. A frustração é muito grande, fico triste, mas não posso me deixar abalar. Os outros ainda vão competir e vou estar aqui na torcida - completou a brasileira.

Mais cedo, Felipe Kitadai também perdeu e foi eliminado. Assim como no Rio 2013, o paulista caiu logo na estreia do Mundial de Chelyabinsk. Ele foi derrotado pelo uzbeque Dyiorbek Urozboev. Enquanto isso, o outro brasileiro dos ligeiros (60kg), Eric Takabatake, resistiu um pouco mais. Ele passou pelo suíço Ludovic Chammartin com um belo ippon e pelo ucraniano Hervorh Hevorhyan, que foi desclassificado com quatro punições. No entanto, caiu diante do russo Beslan Mudranov, número 4 do mundo dos ligeiros, pelas oitavas de final. 

Com as derrotas de Sarah, Kitadai e Eric, o Brasil não tem mais representantes com chances de medalha no primeiro dia de competição. Nesta terça-feira, é a vez de Érika Miranda e Charles Chibana entrarem em ação na Traktor Arena pelo categoria meio-leve.




Fonte: GLOBOESPORTE