Lutador não se importa e detona presidente do UFC: "Ele não se importa com os atletas"

Também afirmou não ter pressa para assinar com o Ultimate

O lutador americano Askren não está nem aí para o que falam e detonou o comportamento do presidente do UFC, Dana White. Ele afirma que não suporta o jeito do presidente e nem de como ele trata as pessoas já que só quer saber do seu bolso. Também afirmou não ter pressa para assinar com o Ultimate e disse não gostar do comportamento de White, com quem troca farpas há dois anos. Askren usou o fiasco do UFC 177, no último fim de semana, para ilustrar sua opinião acerca do chefão da companhia.

Após o brasileiro Renan Barão passar mal e ser hospitalizado durante o processo de perda de peso para a luta contra TJ Dillashaw, a ponto de ser retirado da disputa do cinturão dos pesos-galos, Dana White se recusou a pagar sua bolsa de luta e disse à imprensa que o lutador prejudicou o evento. - Eu tenho dificuldades com a forma como Dana White trata as pessoas. (...) No último fim de semana, Barão, ele cometeu um erro? Sim, ele errou. Ele errou demais. Ele provavelmente não deveria estar (lutando) na (divisão até) 61,2kg. Mas a forma como Dana o jogou na frente do ônibus como se fosse um pedaço de lixo... Onde está um pouco de decência humana ali? Acho que vimos isso várias vezes com Dana. Então, acho que ele se importa muito com seu bolso e não se importa o suficiente com seus atletas - disse Askren, em entrevista.

Invicto em 14 lutas de MMA, o peso-meio-médio americano já chegou a se oferecer de graça ao UFC para receber uma chance de desafiar Georges St-Pierre, então campeão de sua categoria na organização. Após o fim de seu contrato com o Bellator, no ano passado, Ben Askren foi liberado pela companhia e tentou negociar com o Ultimate, mas foi recusado por White, que disse que ele precisava vencer "lutadores de verdade" antes de receber uma chance.

O atleta acabou assinando com o One FC, maior evento da Ásia na atualidade, e disse não ter pressa para assinar com o UFC. - É meio como aquela época na escola em que os garotos "legais" faziam bullying conosco. Aí nós fazíamos algo, aí o grupo legal dizia, "Oh meu Deus, você pode fazer parte do nosso grupo?" Aí alguns de nós que não tinham baixa auto-estima diziam, "Bem, vocês não me queriam da primeira vez, estou bem aqui." Mas outras pessoas correm, "As crianças legais querem andar comigo? Sim, por favor." Acho que é mais ou menos isso. (...) Ele dizer que eu não sou bom o bastante para estar no UFC? Tenho mais talento no meu dedo mindinho do que metade dos caras do UFC. Você tem visto alguns dos caras lutando lá nos últimos tempos? É ridículo. Ter as letras UFC atrás do meu nome não é o começo e o fim dos tempos como para outras pessoas - argumentou. Por outro lado, todavia, "Funky" admitiu que não fechará a porta para uma possível contratação por parte da maior organização de MMA do mundo na atualidade. - Não vou me rebaixar. Não vou ser puxa-saco. Acho que ele (Dana) começou os ataques pessoais antes que eu. (...) Se ele quisesse se encontrar cara a cara e conversar, poderíamos acabar com a rixa. Estaria aberto a isso - concluiu Askren.

Clique aqui e curta o Portal Meio Norte no Facebook

Fonte: Sport Tv