Luxemburgo usa amizade com Alex para convencê-lo a defender o Grêmio

Para repatriar Alex, o Grêmio oferece uma oferta salarial alta.

O técnico Vanderlei Luxemburgo tem aproveitado a amizade com Alex, 35, que deixou o Fenerbahce na última semana, para conversar sobre um possível acerto do meia com o clube gaúcho para a temporada 2013.



Para repatriar Alex, o Grêmio oferece uma oferta salarial alta, a chance de ser o protagonista do time na Libertadores-13 e Luxemburgo, técnico de confiança do atleta.

O Grêmio, no entanto, ainda não está classificado para o torneio continental. A equipe atualmente figura na terceira colocação no Campeonato Brasileiro, o que é suficiente para ficar com uma das vagas do país na Libertadores. Também disputa a Copa Sul-Americana, que dá ao campeão vaga na competição sul-americana.

A proximidade entre Alex e Luxemburgo começou quando o técnico estava no Cruzeiro e bancou a contratação do meia, que estava em decadência na época. O treinador chegou até a fazer um cheque e entregou à diretoria mineira garantindo que, caso Alex não vingasse, os salários do meia poderiam ser descontados.

Ambos foram supercampeões pelo Cruzeiro em 2003, com os títulos do Brasileiro, da Copa do Brasil e do Campeonato Mineiro.

O Palmeiras é outro clube que está na disputa por Alex. O clube alviverde tem identificação com o meia --contou com ele de 1997 a 2001-- e deve oferecer luvas altas para convencê-lo a acertar contrato com a equipe para 2013.

O Cruzeiro tenta também a contratação do meia, mas, entre os amigos de Alex, não há crença de que o destino será Belo Horizonte. A diretoria do Santos considera improvável um acordo com o atleta. Prefere investir em jogadores mais jovens.

Alex deixou o Fenerbahce na segunda-feira da semana passada após o treinador da equipe, Aykut Kocaman, colocá-lo para treinar em separado do grupo. Após uma conversa com o presidente do time, o meia rescindiu o contrato.

Alex chegou ao clube em 2004 e assumiu a faixa de capitão em 2007. Ele deixou a equipe com 330 partidas e 170 gols. Em setembro, foi homenageado com uma estátua.

"Nunca chorei tanto em toda a minha infância, como nesta última semana", declarou Alex, admitindo que cometeu alguns erros em relação aos frequentes comentários que fez sobre as desavenças com o atual treinador da equipe.

Fonte: Folha