Mais racismo: partida do Milan tem banana atirada dentro do campo

Revoltado, o atleta imediatamente pegou a fruta do gramado e partiu em direção ao árbitro.

Um novo episódio de racismo marcou a derrota de 2 a 1 do Milan para o Atalanta neste domingo, fora de casa, pelo Campeonato Italiano. Uma banana foi atirada na direção do francês Kevin Constant aos 28 minutos do segundo tempo. Revoltado, o atleta imediatamente pegou a fruta do gramado e partiu em direção ao árbitro. Os companheiros Nigel De Jong e Philippe Mexès se dirigiram para a torcida dos donos da casa e aplaudiram ironicamente.


Mais racismo: partida do Milan tem banana atirada em campo

Ao fim da partida, o técnico rossonero Clarence Seedorf ressaltou a maturidade de seus jogadores. "Eu posso apenas exaltar meus garotos por continuarem jogando. Não preciso comentar o resto. Constant e seus colegas reagiram da melhor maneira ao seguirem com seu trabalho".

O comandante do time de Bérgamo, Stefano Colantuono, também condenou o comportamento de sua torcida. "Acredito que não há necessidade de falar sobre isso, tenho a impressão de que quanto mais comentamos esses casos, mais eles irão acontecer. Como estamos tratando do assunto, posso dizer apenas que o responsável merece uma punição. Arruinou uma grande tarde".

O ato racista não é novidade no futebol italiano. Em outra ocasião, Kevin-Prince Boateng, que atuou em San Siro, chegou a abandonar o gramado após a ofensa de torcedores do Pro Patria e o amistoso com o modesto clube foi cancelado.

No fim de abril, o lateral-direito Daniel Alves chamou a atenção do mundo para o problema surpreendendo a todos ao comer uma banana lançada ao seu lado em partida da Liga Espanhola.

O incidente em Bérgamo acabou minimizando a dramática vitória conseguida pelo Atalanta aos 50 minutos do segundo tempo, em forte chute de fora da área de Brienza que assegurou os três pontos. Com o resultado, o Milan deu adeus às chances de classificação para a Liga Europa.

Faltando uma rodada para o final do Italiano, a equipe dos brasileiros Kaká e Robinho não chega nem aos 50% de aproveitamento (ganhou só 48,6% dos pontos que disputou).

Fonte: UOL