Mais veloz, Sandro quer mostrar sua cara na Copa América

Mais veloz, Sandro quer mostrar sua cara na Copa América

Com quase um ano de Inglaterra, Sandro não deixou seu espírito ficar tão nublado quanto o céu londrino

Com quase um ano de Inglaterra, Sandro não deixou seu espírito ficar tão nublado quanto o céu londrino. Ele continua sendo mais um representante daquele estereótipo do boleiro brasileiro: sorridente, brincalhão, do tipo que trata palhaçadas com os colegas como prioridade fora das quatro linhas. Mas ele se sente um atleta diferente no momento em que se consolida como figura de Seleção Brasileira. Sandro acredita que ganhou velocidade.

Foi muito mais uma necessidade do que um desejo. No Tottenham, Sandro sentiu na pele a exigência de maior agilidade, algo que não era tão necessário do Inter. Ele teve que agregar isso a seu futebol, já marcado por boa capacidade de marcação e saída qualificada ao ataque. É por isso que Sandro, no momento, se sente mais completo para defender o Brasil. E o volante acredita que já está mais consolidado na turma de Mano Menezes.

- Evoluí bastante. Acho que posso acrescentar algo à Seleção. É complicado, na Seleção, você ter certeza de que faz parte de um grupo. São muitos jogadores de qualidade, mas eu me sinto dentro. Estou em quase todas as convocações. Agora, veio mais essa ? disse o ex-jogador colorado.

Sandro foi convocado para os amistosos contra Holanda e Romênia. É a preparação final para a Copa América, onde reside o maior objetivo do jogador do Tottenham.

- Eu quero ir muito bem nesses dois jogos, porque depois tem a Copa América. E aí eu quero mostrar minha cara. Pretendo começar um longo trabalho na Seleção ? afirmou o jogador.

Até tirar vantagens da passagem pela Inglaterra, Sandro teve que sofrer um pouco. Nos primeiros dias de Tottenham, ele não via nem sinal de ser aproveitado no time. Teve de esperar a hora dele.

- Tive dificuldades no começo, mas enfrentei de frente, virei o jogo, e posso dizer que estou feliz no Tottenham. O problema foi de adaptação. Eu sofria por não jogar. Como é que ia mostrar alguma coisa? No começo, faltava essa oportunidade de jogar mais. Mas é difícil chegar lá e já jogar de cara ? comentou Sandro.

Foi na Liga dos Campeões, especificamente nos duelos com o Milan, pelas oitavas de final, que Sandro teve seu teste de fogo. E deu tudo certo.

- Meu primeiro jogo grande foi contra o Milan. Da mesma forma que estourei, poderia ter sido um desastre. Eu estava ali na hora certa.

Sandro agora disputa lugar na Seleção com atletas como Lucas e Ramires. Mas está bem na parada. A tendência é de que seja confirmado na Copa América.

Fonte: GloboEspote, www.globoesporte.com