Manchester quebra jejum contra o Arsenal e segue na cola do United

Manchester quebra jejum contra o Arsenal e segue na cola do United

Citizens derrotam os Gunners fora de casa após 27 jogos e se mantêm a sete pontos dos Diabos Vermelhos.

O Manchester City segue na caça do rival United na briga pela liderança do Campeonato Inglês. Neste domingo, os Citizens aproveitaram a expulsão do zagueiro Koscielny com apenas nove minutos de jogo, derrotaram o Arsenal por 2 a 0 no Emirates Stadium e quebraram um tabu de 27 jogos sem vencer os Gunners fora de casa.

O resultado deixou o time azul de Manchester com 48 pontos, a sete dos Diabos Vermelhos, que havia vencido mais cedo o Liverpool por 2 a 1. Já o Arsenal permaneceu com 34 pontos, na sexta colocação.



Historicamente, os jogos na casa do Arsenal são sempre difíceis para o City. A última vitória dos Citizens nesta condição havia sido em 1975, ainda no antigo estádio Higbury. Desde então, mesmo na atual fase milionária da equipe de Manchester, os tropeços eram frequentes. Mas, neste domingo, a tarefa de acabar com o jejum foi menos complicada do que o normal.

O lance decisivo da partida aconteceu logo aos nove minutos de partida, quando o zagueiro Koscielny agarrou Dzeko dentro da área. O árbitro Mike Dean marcou pênalti e expulsou o defensor do Arsenal. Na cobrança, o atacante bósnio bateu muito mal e Szczesny, com ajuda da sorte, após a bola bater na trave e rolar pela linha do gol, salvou os Gunners. Entretanto, a situação dos donos da casa não melhoraria.



Com um jogador a mais, o City não demorou para tomar as rédeas da partida. David Silva e Tevez estavam inspirados e criavam as principais jogadas. E foi num passe do argentino que os Citizens abriram o placar, aos 20 minutos. O camisa 32 achou Milner dentro da área, e o meia inglês bateu forte, cruzado, sem chance para Szczesny: 1 a 0 para os visitantes.

Sufocado no campo de defesa, o Arsenal não conseguia encaixar contra-ataques e se limitava a defender. Diante de um ataque poderoso como o do City, não era um bom negócio. Aos 30 minutos, Zabaleta evitou uma tentativa de contragolpe dos Gunners e lançou Milner, que cruzou rasteiro da direita. Sczesny ainda defendeu o chute de Tevez, mas a bola sobrou limpa para Dzeko, que só precisou empurrar para o fundo das redes.

Valente, o Arsenal começou a segunda etapa em busca da reação. Cazorla, apagado na etapa inicial, começou a aparecer mais, criando boas jogadas, mas ainda era insuficiente para ameaçar o City. Os visitantes, por sua vez, se contentaram em atrair os Gunners para o próprio campo e sair nos contra-ataques. Aos 25 minutos, Dzeko deixou Tevez na cara do gol, mas o argentino não conseguiu driblar Szczesny. Na seqüência, o Arsenal respondeu. Cazorla cobrou falta da direita, e Giroud subiu sozinho, mas cabeceou por cima.

Os Gunners ainda tiveram um sopro de esperança aos 29 minutos, quando o zagueiro Kompany foi expulso após uma entrada dura em Wilshere, mas o técnico Roberto Mancini não quis dar chance ao azar e logo colocou Lescott no lugar de Tevez.

A saída do argentino deu ainda mais espaço para o Arsenal ir ao ataque, mas não foi o suficiente. Os donos da casa esbarraram na boa marcação do City e quase não criaram chances. A melhor delas foi aos 44 minutos, quando Cazorla deixou Walcott na cara do gol, e o atacante chutou na saída de Hart. Entretanto, Lescott afastou o perigo e determinou de vez o triunfo do City.

Fonte: Globo Esporte, www.globoesporte.com