Mano Menezes evita a polêmica com Dani Alves e brinca: "Gostei do chapéu"

Mano Menezes evita a polêmica com Dani Alves e brinca: "Gostei do chapéu"

"Não me sinto atingido. Não estou mais envolvido com a seleção brasileira e todo mundo tem direito a uma opinião"

Depois das críticas indiretas do lateral-direito Daniel Alves, o técnico Mano Menezes, que comandou a equipe entre 2010 e 2012, afirmou que não se sentiu atingido pelas declarações do jogador do Barcelona. Após a vitória do Corinthians por 4 a 0 sobre o Linense, nesta quarta, pelo Campeonato Paulista, o treinador não respondeu às críticas, dizendo que "nem todo mundo tem uma capacidade tão boa de colocar as suas ideias". E até brincou com o lateral.

- Não me sinto atingido. Não estou mais envolvido com a seleção brasileira e todo mundo tem direito a uma opinião. Você pode concordar ou não concordar. O importante é respeitar as opiniões. Comigo, o Daniel Alves sempre foi elegante no momento em que estive lá. Isso é o que me interessa. Em uma entrevista, escapa uma frase. Nem todo mundo tem uma capacidade tão boa de colocar as suas ideias. E eu gostei muito do chapéu dele - afirmou Mano Menezes.

Em Joanesburgo, antes da goleada da Seleção por 5 a 0 sobre a África do Sul, Daniel Alves afirmou em entrevista que era necessário para a Seleção que "as pessoas olhassem para o banco de reservas e vissem um campeão", como Luiz Felipe Scolari.

No próximo domingo, o Corinthians tem clássico contra o São Paulo e o treinador poderá não contar com o meia Jadson. Emprestado pelo rival, o jogador só entra em campo se o Timão pagar um valor estipulado no contrato. Mano Menezes não comentou a ausência do meia e lembrou que nem sempre o "reforço" é suficiente para garantir o resultado.

- O que é acordado tem que ser cumprido. O futebol é incrível. Eu tive uma passagem pelo Flamengo, a gente pagou para o Grêmio, para contar com o Marcelo Moreno. O resultado não veio, perdemos por 1 a 0 e fomos criticados. Se não tivéssemos pagado, também seríamos criticados, diriam que a gente perdeu por não ter o Marcelo Moreno.

Mano Menezes ainda destacou que, mesmo com a invasão do centro de treinamento, por integrantes de uma torcida organizada, o Corinthians teve tranquilidade para reagir no Campeonato Paulista.

- O futebol é um conjunto. A coisa mais importante que eu pude dar para o grupo é a tranquilidade, para eles entenderem e irem trabalhando. Quando tivemos, o torcedor geral nos tratou com respeito. Isso dá tranquilidade e credibilidade para trabalhar sério, que é o único caminho que eu conheço.

Fonte: GloboEsporte