Maranhense fala da participação em Pequim

Ana Paula mostrou-se emocionada ao falar das Olimpíadas

A maranhense Ana Paula Rodrigues, armadora da sele??o brasileira de handebol nos Jogos Ol?mpicos de Pequim, falou na manh? de hoje em entrevista ao Programa Ponto Final, sobre sua participa??o no maior evento esportivo do planeta. De f?rias em S?o Lu?s, Ana Paula aproveitou tamb?m para falar da carreira, da saudade que sente da fam?lia e da situa??o do handebol maranhense.

Ana Paula mostrou-se emocionada ao falar das Olimp?adas que, segundo ela, ? uma experi?ncia inesquec?vel. ?Foi muito bom, muito diferente de tudo que j? vivi no meio do esporte. Uma competi??o completamente diferente, n?o tem explica??o.?

A sele??o feminina de handebol encerrou sua participa??o nas Olimp?adas na 9? coloca??o. Apesar do resultado parecer ruim, Ana Paula disse que o handebol brasileiro evoluiu bastante. Para a maranhense, o Brasil esbarrou nos pr?prios erros, mas jogou de igual para igual com as sele?es da Europa. ?Quem erra menos ? quem ganha?, disse.

Ela informou ainda que o Brasil conquistou o respeito de pa?ses com tradi??o no handebol e que a partir de agora a sele??o vai brigar por melhores resultados nas pr?ximas edi?es dos Jogos. ?Quando jogamos contra a R?ssia, o t?cnico deu uma entrevista falando que antes ele nem sabia quem era o Brasil. Mas que hoje em dia, ele se preocupa, porque sabe que vai enfrentar uma equipe forte?.

Como tudo come?ou

A hist?ria da maranhense no handebol come?ou quando ela tinha 13 anos. Campe? do JEMs em 2001, pelo col?gio Alberto Pinheiro, Ana Paula viajou para Po?os de Caldas-MG, onde disputou as Olimp?adas Escolares. Destaque da competi??o, a atleta foi contratada por uma equipe de Guarulhos-SP e l? permaneceu por cinco anos at? acertar sua transfer?ncia no ano passado, para o Balomeno Roquetas, da Espanha. Nessa altura, a maranhense j? vestia a camisa da sele??o brasileira de handebol feminino.

Ana Paula confessou que foi muito dif?cil deixar a fam?lia e os amigos para jogar em S?o Paulo. Para ela, o apoio dos pais foi decisivo para superar as dificuldades da nova empreitada. ?Eu senti bastante, porque sou muito apegada ? minha fam?lia. No come?o foi bem dif?cil, chorava todo dia, ligava pro meu pai dizendo que queria voltar. Mas ele me dava for?a e dizia: ag?enta, porque ? isso que voc? quer.?

Handebol no Maranh?o

Ao fim da entrevista, a jogadora lamentou a falta de iniciativas para o handebol maranhense e revelou o que precisa ser feito para que o Maranh?o volte aos seus ?ureos tempos, quando revelava talentos para todo o Brasil. ?Acho que falta apoio para o nosso handebol. Aqui voc? treina na escola, joga, mas n?o tem campeonato. A gente s? participa dos Jogos Escolares, s? jogamos contra n?s mesmos, quem vai nos olhar assim? O Maranh?o precisa ser visto e para isso, tem que participar de mais competi?es nacionais?, finalizou.

Ana Paula volta para a Espanha na pr?xima semana. A maranhense se apresenta ao seu novo time, o Balomeno Elite, onde assumir? o posto de armadora no restante da temporada 2008.

Fonte: Imirante, www.imirante.com.br