Justiça indicia Marcelino Paraíba por crime de estupro; saiba mais

De acordo com o exame, foram constatados hematomas no couro cabeludo, no pescoço e um corte na cavidade interna da boca


Marcelinho Paraíba é indiciado pelo crime de estupro em Campina

A delegada da Mulher, Herta de Freitas, concluiu o inquérito e o enviou à Justiça, indiciando o jogador do Sport Clube do Recife, Marcelinho Paraíba, por crime de estupro contra a advogada Rosália Zabatos de Abreu. O indiciamento tem como base o laudo emitido pelo Núcleo de Medicina e Odontologia Legal (Numol) de Campina Grande, atestando as agressões sofridas pela vítima, como também nos depoimentos e provas técnicas.

De acordo com o exame, foram constatados hematomas no couro cabeludo, no pescoço e um corte na cavidade interna da boca (lábios). O atleta é acusado de agarrar e beijar a advogada de forma forçada.

O fato ocorreu durante uma festa realizada na granja do jogador no dia 30 de novembro do ano passado. Se for condenado pela Justiça, Marcelinho pode pegar uma pena que varia de oito a 12 anos de prisão. O advogado Afonso Vilar acredita que o jogador será inocentado pela Justiça.

Outro processo

Marcelinho foi intimado para depor, na próxima segunda-feira (23), como testemunha no processo que investiga se o delegado Rodrigo Pinheiro efetuou disparos de arma de fogo no evento que aconteceu no sítio do jogador, em novembro passado.

Rodrigo Pinheiro, que é delegado e irmão da vítima no processo de estupro, foi afastado de suas atividades na 5ª Delegacia Distrital de Campina Grande depois de ter sido acusado pelo jogador de ter voltado à festa com a Polícia Militar e ter efetuado disparos, após ter tirado a irmã do local. Pinheiro ainda discutiu com alguns jornalistas que faziam a cobertura da prisão de Marcelinho.

Fonte: GloboEsporte