Marcos vê fim trágico e "ano perdido" caso Verdão não consiga vaga para Libertadores

Alviverde caiu para a terceira posição, atrás de São Paulo e Flamengo

Um sorriso e uma brincadeira com um torcedor. Uma foto e um autógrafo para outro. Marcos foi gentil e solícito com aqueles que o procuraram no aeroporto Salgado Filho, um dia depois da derrota para o Grêmio, no Olímpico. Mas por trás daquele rosto de riso fácil estava um goleiro amargurado e sentido pelo rumo que o Palmeiras tomou nos últimos dias. Depois de liderar o Brasileiro por quase três meses sem ser incomodado, o Alviverde caiu para a terceira posição, atrás de São Paulo e Flamengo. O time que antes contava os dias para ficar com a taça do Nacional, agora faz contas para assegurar uma vaga na Taça Libertadores. Tudo isso a somente duas partidas do fim da competição.

- Não penso em 2010 já porque é muita coisa, é começar a sofrer já. Eu penso no Atlético-MG e em vencer. O ano já foi perdido pela oportunidade que tivemos e não aproveitamos. Mas sem a vaga na Libertadores será um ano trágico ? avaliou o goleiro de 36 anos, durante o voo de volta para São Paulo.

A partida contra os mineiros comandados por Celso Roth está marcada para daqui a nove dias, no domingo 29, no Palestra Itália. Será o último jogo do Alviverde em casa no ano. A última oportunidade de agradar aos torcedores que comparecerem ao estádio e que sonharam com o título do Nacional, depois de 15 anos na fila. O duelo que já teve contornos de decisão de campeonato agora ganha cenário de drama.

- Há pouco tempo atrás, todos achavam que este seria o jogo que definiria o campeão e agora ele se transformou em uma partida fundamental para a Libertadores. Temos de ter três coisas: concentração, treinar forte e personalidade ? disse o capitão, vendo o atacante Lenny, que estava sentado ao seu lado, balançar a cabeça como positivo para o que falava.

Sobre a noite da última quarta-feira, Marcos se disse desapontado com a atitude de Obina e Maurício, que se agrediram na saída para o intervalo do jogo com o Grêmio ? os dois foram afastados do clube. Ele contou que as coisas logo se resolveram e que Muricy Ramalho procurou acalmar os ânimos e pensar o time, mas contando que somente o zagueiro seria expulso, por já ter um cartão amarelo ? os dois acabaram fora do jogo. As atitudes dos atletas ainda em campo culminaram nos seus afastamentos do clube, anunciado logo após a derrota pelo vice de futebol, Gilberto Cipullo.

- Conversei com o Obina, que foi se despedir de todos no hotel. Foi lamentável o que aconteceu, mas não podemos colocar a culpa somente nos dois. Perdemos o campeonato há dez rodadas. Eles não têm mais culpa do que ninguém aqui. A diretoria pode e tem o direito de fazer o que fez, mas eu não concordo. Acabaram jogando uma carga grande para cima deles - comentou Marcos.

Apesar dos dissabores que tem vivido com o Palmeiras nas últimas rodadas, o ídolo maior da torcida alviverde não pensa em largar o futebol por isso. Ele afirma que, embora pense que a oportunidade de conquistar mais um título pareça distante, principalmente pela idade que tem, ele não desanimou da profissão.

- Fico cansado porque o Brasileiro é longo, com viagens e não é sempre que se tem uma brecha como a que tivemos para ganhar. Mas eu não desanimo por causa de uma derrota ? finalizou.

Fonte: Globo Esporte, www.globoesporte.com